Os problemas financeiros tocam a todos

Os que pensam que os problemas financeiros são exclusivos de pessoas com baixos níveis de rendimento ou com baixos níveis de escolaridade estão muito enganados. De facto, o tema do dinheiro afeta a todos e tem afetado significativamente aqueles que são funcionários públicos, pensionistas e com maiores níveis de rendimento.

Neste artigo vamos falar-lhe de um caso de sucesso para que perceba que não é difícil ter problemas financeiros. Vamos mostrar-lhe como foi possível a um cliente poupar mais de €45.000 por ano…

O Diagnóstico

Causas do Endividamento: As principais causas do endividamento prendem-se com o aumento significativo dos impostos para o escalão mais elevado, tanto no contexto de uma maior taxa de imposto como pela aplicação da sobretaxa extraordinária. Adicionalmente, o corte das pensões também afetou o orçamento familiar.

Na prática, a queda do rendimento mensal foi sendo compensada por uma maior utilização dos cartões de crédito e de outros descobertos bancários, o que acabou por originar uma situação de sobre endividamento crónico. De notar que aqui não falamos de uma responsabilidade ativa mas antes da inatividade relativamente à alteração do contexto.

Nível de Endividamento: O endividamento desta família é composto por um crédito habitação e por diversos créditos pessoais, cartões de crédito e conta ordenado:

• Crédito Habitação - €60.000
• Créditos Pessoais - €80.000
• Cartões de Crédito - €27.500

Este nível de endividamento representava um valor total de prestações fixas de €3.200, sem contar com o pagamento de cartões de crédito que, como sabemos, é mais flexível (é possível fazer pagamentos que vão desde os 3%-5% a 100%). Somando todos os pagamentos mensais, o cliente pagava perto de €5.500 todos os meses… isto apenas às instituições financeiras!

A solução

O caso deste paciente do Dr. Finanças é um caso típico de muitas famílias portuguesas, apesar da sua dimensão poder ser maior do que a média. Neste caso concreto, foi possível implementar o tratamento de Crédito Consolidado com Hipoteca do Dr. Finanças. O imóvel que servia de garantia ao crédito habitação foi avaliado em €240.000 o que possibilitou:

1. Solicitar um financiamento de €167.000;
2. Liquidar o atual crédito habitação - €60.000
3. Liquidar os créditos de curto prazo - €107.000.

Pagamento de prestação mensal de aproximadamente €1.518 a 10 anos. Ou seja, uma poupança de €3.982 por mês… ou €47.784 por ano. A acrescer, com esta estratégia, o nosso paciente consegue amortizar todos os créditos ao passo que anteriormente se encaminhava rapidamente para uma situação de insolvência pessoal.

E agora?

Depois desta consolidação de créditos com hipoteca o paciente do Dr. Finanças poderá utilizar a sua poupança para retomar a sua vida. Talvez trabalhar menos horas pois já não precisa de tanto rendimento mensal. Ou optar por utilizar parte da poupança para amortizar mais rapidamente todos os seus créditos. Na realidade, ao fazer amortizações antecipadas poderá pagar todos os seus créditos em menos de 5 anos…

O que concluir de tudo isto?

Da análise deste processo podemos tirar diversas conclusões:

• Somos afetados fortemente pelo contexto, muitas vezes sem nos apercebermos disso e sem termos qualquer responsabilidade;
• Temos de atuar de forma preventiva e corrigir o problema pela raiz. Na realidade, se tivesse uma intervenção mais cedo poderia ser possível conter uma parte significativa do problema;
• Existem soluções para todo o tipo de problemas. Temos é de as procurar e de iniciar todo o processo.

Quer saber quanto pode poupar com o seu crédito consolidado com hipoteca? Por que não pedir uma simulação para o seu caso específico ao Dr. Finanças? Já passou por uma situação semelhante? Deixe-nos a sua experiência e conte-nos como resolveu o problema.

artigo do parceiro:

Comentários