Expressões e palavras que não devem constar no seu currículo

Como valorizar o seu currículo ao substituir palavras muito utilizadas, acrescentar experiências concretas e inserir detalhes interessantes e importantes da carreira.

Quando tem de fazer ou atualizar o seu currículo deve fazê-lo com muito cuidado, pois além de não ser uma tarefa fácil é de facto muito importante. Deve pesar bem o que quer colocar e saber selecionar quais as informações que merecem mais ou menos destaque. Mesmo para aqueles que possuem uma grande experiência no mercado e uma carreira invejável, algumas palavras e expressões que são muito comuns em currículos podem diminuir a qualidade do mesmo. É exatamente por isto que deve substituir palavras muito utilizadas, acrescentar dados concretos e inserir detalhes da carreira. Assim sendo segue uma lista de palavras e expressões que deveria retirar, ou pelo menos substituir, do seu currículo para deixá-lo mais forte:

Liderança - De acordo com o LinkedIn, “liderança” aparece como a palavra mais utilizada nos perfis dos utilizadores dessa plataforma. Mesmo sendo popular, a simples indicação dessa competência não acrescenta nada para o currículo. É sempre melhor colocar experiências no seu cv que mostrem essa qualidade.

Pontual - A exemplo do termo liderança, colocar apenas a palavra “pontual” como uma qualidade não melhora o seu histórico profissional. No mercado, espera-se que todos os colaboradores sejam pontuais e isso não o faz um melhor empregado.

Bom comunicador -  Utilizar a expressão “bom comunicador” num currículo pode não dizer muita coisa sobre a pessoa, já que qualquer característica de comportamento vai ser observada posteriormente em numa entrevista presencial.

Ambicioso - Deve evitar dar destaque a interesses pessoais e características de personalidade no currículo. Muitas vezes elas não ajudam a refletir o real profissional por trás disso.

Trabalho em equipa -  A expressão “trabalho em equipa" também  deve ser substituída por resultados atingidos em grupo.

Inovador - Outro adjetivo desnecessário. A inovação é uma qualidade que o candidato dificilmente conseguirá destacar num currículo sem exemplos.

Honesto - Nas empresas hoje, parte-se do pressuposto de que todos os seus colaboradores são honestos e éticos, logo colocar essa característica entre suas habilidades não vai diferenciar o profissional dos seus concorrentes.

Siglas - Em algumas carreiras, o uso de siglas e nomenclaturas próprias é muito comum. Porém, o profissional deve lembrar que muitas vezes a pessoa que lê os currículos pode não estar familiarizada com certas abreviações, o que pode prejudicar  o entendimento. É importante colocar as informações por extenso antes de utilizar as siglas.

Pronomes pessoais como eu, meu, nosso - Currículos agrupam informações de uma mesma pessoa. O uso de pronomes pessoais é dispensável já que os dados falam de um mesmo profissional.

Excesso de palavras - Um dos erros mais comuns  é pecar pelo excesso de palavras ao descrever a trajetória. O hábito, muito comum entre os jovens em início de carreira, traz uma falsa sensação de ter mais experiências profissionais. No caso dos mais jovens, os recrutadores não levam tanto em consideração a quantidade de experiências que ele possui, mas sim o potencial que carrega consigo. É natural que o currículo de um jovem que está entrando no mercado seja completamente diferente daquele de uma pessoa experiente, por isso não vale a pena colocar mais coisas que não acrescentam nada de muito importante só para encher espaço.

Veja ainda: Sabe qual é a sua vocação?

Leia mais:

Faça o seu plano de carreira

Invista no marketing pessoal

artigo do parceiro:

Comentários