Esta mulher quer pôr toda a gente a beber cerveja!

Ana Osório é uma das duas mulheres escanção de cerveja da Península Ibérica

«Tal como o vinho, a cerveja é um mundo de possibilidades quando associada à comida». Quem o diz é Ana Osório, uma das duas mulheres escanção de cerveja na Península Ibérica.

Ana Osório, escanção de cerveja, trabalha numa cervejeira portuguesa há 14 anos, «um mundo de homens», diz, mas divide a função com outra mulher e são as únicas em Portugal e Espanha a fazer este trabalho.

Fez a formação no Instituto Doemens em Munique na Alemanha e quer que a cerveja ganhe em Portugal a importância que tem naquele país. «É um desafio muito aliciante e, para além das provas, temos investido na associação desta bebida com a comida, tal como acontece com o vinho», refere. Para isso, tem feito parcerias com vários chefs e restaurantes em vários pontos de Portugal. «Foram criados menus diferenciados para serem acompanhados por cerveja, organizadas provas desta bebida e happy hours com tábuas de queijo», revela.

O objetivo é acabar com alguns mitos. «Somos um país muito ligado ao vinho e a cerveja ainda está muito associada aos tremoços e dizem que é pouco feminina, mas isso não é verdade. Não engorda, o gás não faz mal e a fermentação da cerveja até ajuda a limpar o palato e tem a vantagem de prolongar o gosto da comida, não há uma sobreposição de sabores», explica ainda Ana Osório.

Cerveja à sobremesa

Ana Osório realça que é possível fazer uma refeição do início ao fim, das entradas à sobremesa, acompanhada só de cerveja. «Há regras básicas, apesar do palato de cada pessoa ser diferente», realça, «a cerveja mais leve acompanha os pratos ligeiros e as mais pesadas os mais elaborados. Em qualquer dos casos, deve ser servida a uma temperatura entre 6º C e 8º C para não perder o gosto. Devido ao grau de amargor e ao sabor herbáceo, as cervejas normais, as pilners, acompanham bem pratos salgados e snacks como amendoins, queijos frescos e marisco», exemplifica.

Já para os pratos com mais gordura e especiarias, a escanção recomenda «cervejas mais encorpadas». Para Ana Osório, a cerveja preta, «caramelizada e tostada», é uma excelente opção para associar a sobremesas. «Aconselho experimentar com chocolate amargo, frutos vermelhos, tiramisu e até foundant de queijo da Serra. E nem os cocktails escapam a esta onda cervejeira. «Pode juntar-se, por exemplo, cerveja (com ou sem álcool) com abacaxi, limão e menta. Fica delicioso e nutritivo», salienta.

Quando questionada sobre a qualidade da cerveja portuguesa, Ana Osório não tem dúvidas. «Temos muita boa cerveja, precisa é de ser mais divulgada. Os estrangeiros quando vêm cá querem provar o vinho, mas quando provam a cerveja ficam rendidos porque é muito equilibrada e a moda das cervejas artesanais só veio reforçar isso», conclui a especialista.

Texto: Rita Caetano

artigo do parceiro:

Comentários