O poder das palavras

Tantas vezes pronunciamos palavras sem sentido, dizendo “era só a brincar”, “não queria mesmo dizer isso”, “são apenas palavras da boca para fora”. Quantas vezes já todos ouvimos ou proferimos estas expressões? Mas, será mesmo assim? Palavras sem sentido e sem consequências?

Antes de mais, gostaria de referir um trabalho lindo e muito importante não apenas para a ciência, mas para o nosso auto conhecimento, realizado pelo cientista japonês Masaru Emoto e publicado nos livros “As mensagens da água”. Este cientista recolheu água de vários locais em garrafas de vidro e colocou palavras viradas para o interior. Congelou a água e depois retirou pequenas quantidades da mesma e observou ao microscópio os seus cristais. Os cristais formados pela água cujas palavras eram de amor e gratidão, eram lindíssimos, enquanto os cristais submetidos á energia das palavras de ódio e raiva eram totalmente distorcidos. A mesma água reagia consoante a energia da vibração das palavras.

O nosso corpo é constituído por 70% de água. Se a água exterior a nós reage desta forma, como reage a água dentro do nosso corpo á vibração dos nossos pensamentos e palavras que está tão intimamente ligada a nós 24 horas por dia?

Um outro trabalho muito interessante tem sido conduzido por cientistas russos que encontraram evidência em como o nosso ADN pode ser reprogramado e influenciado por palavras e frequências sem cortar e substituir genes individuais.

Apenas 10% do nosso ADN é usado para as construções proteicas do nosso organismo, e tem sido este subconjunto de ADN a área de interesse de pesquisadores ocidentais, sendo os outros 90% considerado “ADN lixo”. Contudo, os pesquisadores russos convencidos (e com razão) que a natureza não é estúpida, têm reunido cientistas e geneticistas que exploram este “ADN lixo” e as suas conclusões tem sido revolucionárias. Descobriram que o ADN não é apenas responsável pela construção do corpo, mas também por armazenamento e informação e comunicação.

Desta forma enquanto os pesquisadores ocidentais cortam genes individuais dos filamentos de ADN e os inserem noutro local, os russos trabalham em dispositivos que influenciam o metabolismo celular através de frequências de rádio e de luz apropriadas e assim reparam defeitos genéticos. Também conseguiram compreender o poder do pensamento e das palavras para reprogramar o nosso ADN e assim explicar o poder das afirmações positivas, hipnose, etc.

Saiba mais na próxima página

Comentários