O músculo do auto-controlo

O músculo do auto-controlo é como qualquer outro músculo do corpo. Quando não é exercitado, torna-se fraco. Quando o exercita com regularidade, torna-se cada vez mais forte e muito mais apto a ajudá-lo a concretizar os seus objetivos. Para construir uma determinação férrea assuma um desafio que exija fazer algo que prefere não fazer. Desistir de fast food, fazer 100 agachamentos por dia ou aprender uma nova habilidade.

Comece apenas com uma atividade e faça o plano de como vai lidar com os obstáculos quando surgirem (se estiver com vontade de comer um hambúrguer, defina que vai comer duas peças de fruta fresca). O truque está em definir um plano. Construir uma alternativa.

No início vai parecer complicado, mas o facto de ter uma alternativa e não ficar a pensar no que lhe foi negado será meio caminho andado para o sucesso. E o processo será cada vez mais fácil à medida que o for praticando.

Muitos dos objetivos com que lutamos ano após ano têm uma coisa em comum: resistir à tentação. Tentar ignorar o poderoso fascínio do cigarro proibido, donut, compra ou distrações no trabalho requer determinação. Quando confrontado com um relatório aborrecido ou uma série de papéis é necessária alguma determinação para evitar dar uma vista de olhos no Facebook, responder aos emails ou jogar a qualquer coisa no telemóvel. E para alguns de nós ainda é precisa mais determinação para manter o humor sob controlo quando um colega “não nos entende” ou um subordinado comete um erro.

Pode achar que as pessoas muito bem-sucedidas têm toneladas de determinação e nunca desistem. Faça o exercício de nomear uma pessoa famosa que não tenha uma fraqueza conhecida. Não vai ser fácil…

Mesmo ações do quotidiano, como tomar decisões, tentar causar boa impressão, lidar com os stresses da sua carreira e família podem minar este valioso recurso.

Quando puxa demasiado de uma vez ou por demasiado tempo pelo auto-controlo, este esgota-se. É nestes momentos que o donut ganha.

A boa notícia é que o esgotamento da determinação é apenas temporário. Dê ao seu músculo tempo para recuperar e rapidamente estará de volta à sua melhor forma e pronto a negar qualquer cigarro que se atravesse no seu caminho.

Investigação recente demonstrou que quando o descanso não é opção, pode aumentar a velocidade de recuperação pensando apenas em pessoas que têm um elevado auto-controlo.

Pode também tentar dar a si próprio um estímulo. Algo que o ponha bem-disposto. Algo que lhe eleve o espírito – ouvir a sua música favorita, ver um vídeo divertido, ligar a um bom amigo ou refletir num sucesso passado – são aspetos que ajudam a restaurar a força do seu auto-controlo quando está à procura de uma reparação rápida.

Estudos recentes demonstram que atividades diárias, como fazer exercício, gerir as suas finanças, o que come, ou apenas lembrar-se o mais vezes possível de se sentar direito, pode fortalecer a sua determinação. Por exemplo num dos estudos, pessoas a quem foram dadas entradas grátis em ginásios e que se comprometeram com programas de exercício durante dois meses não só se tornaram mais saudáveis, como também fumaram menos cigarros, beberam menos álcool e comeram menos fastfood. Foram capazes de controlar melhor o seu humor e de gastar menos dinheiro impulsivamente. Não deixaram os pratos no lavatório, deixaram de adiar tanto e falharam menos compromissos. De facto todos os aspetos das suas vidas que requeriam auto-controlo e determinação melhoraram dramaticamente.

Bons exemplos de investigações passadas incluem por exemplo, desistir de um doce preferido, abster-se de dizer mal, usar a mão não dominante para abrir portas ou escovar os dentes e evitar iniciar frases com “eu”. Pode escolher praticamente tudo para o seu ginásio de auto-controlo, desde que isso envolva ultrapassar um desejo e fazer alguma coisa que normalmente não faz. Dependendo dos seus hábitos, fazer a cama todas as manhãs ou limitar o tempo no Facebook pode ser uma boa forma de começar. Como em tudo na vida, o início é um pouco duro, mas, se persistir tudo se vai tornar mais fácil.

artigo do parceiro: Marco Meireles

Comentários