Osteoporose, uma doença silenciosa

À medida que a idade avança, a probabilidade de ter a doença aumenta
Estima-se que a osteoporose afete 75 milhões de indivíduos na Europa, Estados Unidos da América e Japão. Em Portugal, cerca de 500 mil pessoas são vítimas desta doença caraterizada pelo enfraquecimento progressivo da massa óssea.



A osteoporose é a doença metabólica do osso mais prevalente, que se carateriza por uma deterioração da estrutura e da qualidade do tecido ósseo, causando uma diminuição da resistência do osso.



Segundo Ana Paula Barbosa, médica endocrinologista e Secretária Geral da SPODOM – Sociedade Portuguesa de Doenças Ósseas Metabólicas, a osteoporose “é atualmente considerada um grave problema de saúde pública, com um peso semelhante às doenças cardiovasculares e ao cancro. As consequências desta doença, que torna os ossos mais frágeis, levam a que um traumatismo mínimo,



como uma queda da própria altura ou um simples movimento corporal, possa originar uma fratura”.



Causas e sintomas



A causa principal da osteoporose é o envelhecimento. Ana Paula Barbosa acrescenta que “a sua prevalência está em crescendo contínuo com o aumento da longevidade. Ou seja, à medida que a idade avança, a probabilidade de ter a doença aumenta”.



No entanto, existem diversos fatores que podem contribuir para o desenvolvimento da osteoporose. Nas mulheres, que são as mais afetadas por esta doença, com maior prevalência após os 65 anos de idade, a menopausa representa uma importante causa. As alterações hormonais resultantes desta situação aceleram a perda de massa óssea e aumentam o risco de aparecimento da doença.



”Medicações prolongadas como corticóides e hormona tiroideia, tabaco, alcoolismo crónico, alimentação deficiente, baixa ingestão de produtos lácteos, exposição solar reduzida (que leva a um défice de vitamina D), sedentarismo ou imobilização prolongada são fatores modificáveis que também podem conduzir à osteoporose”, acrescenta a médica endocrinologista.

Comentários