Os miomas uterinos e a incontinência urinária: Que relação?

A incontinência urinária poderá resultar da pressão de um mioma uterino de maiores dimensões sobre a bexiga.

Os miomas uterinos provocam diversos tipos de sintomas, sendo a incontinência urinária e o aumento da frequência miccional frequentes em muitas mulheres.

A incontinência urinária poderá resultar da pressão de um mioma uterino de maiores dimensões sobre a bexiga. Nestas situações, o enchimento da bexiga é limitado, condicionando uma necessidade de urinar com maior frequência do que é normal.

Em alguns casos, o aumento da pressão abdominal durante os esforços ou associada ao riso e tosse faz com que o mioma exerça uma maior pressão sobre a bexiga, provocando uma incontinência urinária. Estes sintomas podem ser pouco incomodativos para algumas mulheres mas em muitos casos podem interferir significativamente na sua qualidade de vida.

Há outras causas de incontinência urinária, pelo que estes sintomas devem ser avaliados cuidadosamente. Em alguns casos mais raros, os miomas podem fazer compressão sobre os ureteres (que estabelecem a ligação entre os rins e a bexiga), podendo provocar problemas renais graves.

Muitas vezes, para além da incontinência, surgem também sintomas como dores e hemorragias menstruais muito abundantes, distensão abdominal com a sensação de desconforto, obstipação ou dor durante as relações sexuais e infertilidade, sendo um dos grandes responsáveis pelos abortos de repetição. Mais de 25% das mulheres com miomas uterinos apresentam estes sintomas.

Uma vez que os miomas uterinos são os tumores pélvicos mais frequentes nas mulheres e afetam entre 30 a 60% da população feminina, entre as quais 2 milhões de mulheres portuguesas, é importante alertar as mulheres para os sintomas que podem resultar da sua presença e necessidade de uma vigilância ginecológica adequada, permitindo um tratamento eficaz.

Apesar de nem todas as mulheres que desenvolvem estes tumores apresentarem sintomas, existem casos em que provocam manifestações que podem variar significativamente consoante a localização, tamanho e número de miomas e podem ser responsáveis por alguns problemas que afetam a saúde e a qualidade de vida da mulher. É essencial que os rastreios ginecológicos se tornem um hábito, pois desta forma é possível fazer a detecção da maioria dos miomas uterinos, que podem interferir significativamente na qualidade de vida de uma mulher ativa.

Por Liana Negrão, Médica Especialista em Ginecologia-Obstetrícia

artigo do parceiro: Nuno Noronha

Comentários