Os antidepressivos têm efeitos secundários?

Os antidepressivos são medicamentos que atuam no Sistema Nervoso Central. Regulam o humor, quando este está negativo, contribuindo para melhorar o nível de vitalidade, energia, interesse e emoções.

Estes medicamentos diferem dos psicoestimulantes pois não atuam quando o estado do humor está normal.

Existem diferentes classes de antidepressivos, sendo a escolha e o esquema de tratamento, sempre feito por um médico. Como a maior parte dos medicamentos, podem ter alguns efeitos secundários, que diferem de pessoa para pessoa e dependem do medicamento em questão. Tendem a manifestar-se no início do tratamento e a desaparecer com a continuidade. No entanto, se forem demasiado severos, fale com o seu médico: ele poderá ajustar a dose ou optar por outro medicamento.

Vejamos quais são os efeitos secundários mais comuns e como contorná-los:

Náuseas – tome os medicamentos com comida, beba líquidos em abundância durante o dia.

Aumento de apetite e peso – prefira as frutas, os vegetais e os cereais, reduza os doces, as bebidas açucaradas e o fast food.

Fadiga – faça uma pausa durante o dia, experimente um exercício leve como caminhar. Tome os medicamentos uma ou duas horas antes de se deitar, se a indicação for para tomar à noite.

Insónias – fale com o médico para, se for possível, tomar os medicamentos de manhã. Evite bebidas com cafeína e estabeleça uma rotina relaxante antes de se deitar.

Boca seca – beba água com regularidade, chupe pequenos cubos de gelo ou pastilhas sem açúcar, respire pelo nariz, lave os dentes duas vezes ao dia.

Tonturas – levante-se devagar, evite o álcool, a cafeína e o tabaco, beba líquidos em abundância. Fale com o médico, para se for possível, tomar a medicação ao deitar.

Ansiedade – faça exercício (ande de bicicleta, por exemplo), tente técnicas de relaxamento respiratório e muscular.

Obstipação – aumente a ingestão de líquidos e de alimentos ricos em fibra.

Negar a depressão é o pior que pode fazer por si próprio. A depressão trata-se, com a ajuda do médico e do seu farmacêutico: na Farmácia encontra informação e aconselhamento rigorosos sobre as causas, os sintomas e as abordagens terapêuticas da depressão. O seu farmacêutico está sempre disponível para o esclarecer e apoiar no decurso do tratamento.

Saiba mais no site das Farmácias Portuguesas

artigo do parceiro:

Comentários