Onze critérios no diagnóstico de Lúpus

Por Germano de Sousa

Os médicos usam os “ Onze critérios de Lúpus” da Associação Americana de Reumatologia, para fazer ou excluir o diagnóstico de Lúpus.

No entanto só com um conjunto de quatro, no mínimo, se pode considerar que o doente tem Lúpus:

Os onze critérios da Associação Americana de Reumatologia

1. Exantema malar: em forma de borboleta ( erupção no nariz e bochechas)
2. Exantema (pele) discóide: manchas vermelhas
3. Fotossensibilidade: erupção cutânea, como resultado da reação incomum à luz solar
4. Úlceras na boca ou nariz: geralmente indolores
5. Artrite (não erosiva) em duas ou mais articulações, juntamente com inchaço, ou derrame. Com artrite não erosiva, os ossos ao redor das articulações não são destruídas.
6. Envolvimento Cardiopulmonar: a inflamação das membranas que envolvem o coração (pericardite) e / ou pulmões (pleurite)
7. Alterações no sistema nervoso: convulsões e / ou psicose
8. Distúrbio renal (rim): excesso de proteínas na urina
9. Alterações Hematológicas: anemia hemolítica, baixa contagem de células brancas do sangue, ou baixa contagem de plaquetas
10. Alterações Imunológicas: Anticorpos anti DNA, ou o Anticorpos anti fator SM, ou o Anticorpos anti fosfolipido (APL) baseado em: Níveis anormais de anticorpos anti cardiolipina IgG ou IgM; Anticoagulante Lúpico positivo em método padronizado; Teste serológico falso positivo confirmado para Treponema palidum, durante pelo menos 6 meses
11. ANA (anticorpos antinucleares) positivos na ausência de terapêutica farmacológica

O diagnóstico de Lúpus baseia-se em dados clínicos e laboratoriais. Os testes laboratoriais, só por si, não são suficientes para o diagnóstico. Ou seja, uma pessoa pode ter positiva a análise mais conhecida como associada ao LES (ANA - Anticorpo Antinuclear) e ser sempre saudável. No entanto, em conjunto com os sintomas referidos pelo doente e os sinais observados pelo médico, são muito úteis.

Comentários