O que a boca diz sobre a sua saúde

Existem doenças cujos primeiros sintomas surgem neste órgão, aos quais nem sempre damos a devida atenção. Da próxima vez que lavar os dentes esteja atento a eventuais sinais.

A sua boca pode mostrar-lhe muito mais do que um sorriso. Pode apresentar sintomas de doenças que tenham surgido noutra parte do corpo, como anemia, leucemia, diabetes ou melanoma. Muitas dessas patologias «têm um caráter raro e as consequências das mesmas podem ser bastante minimizadas quando o diagnóstico é feito atempadamente nas consultas regulares com o seu médico dentista», refere Miguel Stanley, médico dentista.

Por outro lado, «pode também ocorrer que surjam manifestações e sintomas orais como consequência da medicação que se esteja a tomar». Por isso, «sempre que surgir algum sintoma ou manifestação, deve consultar com a maior urgência possível o seu médico dentista, a fim de poder fazer um diagnóstico correto e o mais precoce possível», ressalva o especialista.

De entre os vários possíveis sintomas, o médico dentista Miguel Stanley refere os mais comuns e aos quais deve estar atento:

- Secura bucal

Designada por xerostomia, ocorre «devido à diminuição da quantidade de saliva», explica  o médico dentista Miguel Stanley. Se associada a uma doença, a fase em que surge varia com a patologia em causa, em função «da medicação que se toma ou do tipo de alimentação», adianta. Consulte o médico «assim que tiver perceção do sintoma, uma vez que pode ser um indicador de patologias sistémicas (num ou em vários órgãos)», adverte.

Tal sucede «por estar associado a um risco maior de aparecimento de cárie e por poder ter uma diminuição da qualidade de vida (acordar várias vezes durante a noite para beber água, desconforto constante, dificuldade em ingerir certos alimentos)», aponta o médico dentista. Outras causas são «a toma de medicamentos antidepressivos, anticoagulantes ou relaxantes musculares, algumas terapêuticas, como a quimioterapia e a radioterapia», sublinha.

«A ingestão frequente de tabaco e álcool» também pode provocar a secura bucal. Este problema pode ser também um sintoma de doenças como «síndrome de Sjögren [doença crónica inflamatória, que afeta sobretudo mulheres acima dos 45 anos, em que o sistema imunitário ataca e danifica órgãos e estruturas do próprio organismo] ou fibrose  quística», explica Miguel Stanley.

Evite alimentos picantes, salgados ou biscoitos, bem como líquidos de bochecho com álcool e tabaco. Use estimulantes salivares (pastilhas elásticas sem açúcar, alimentos fibrosos ou sumo de limão) e beba muita água. Mantenha sempre os lábios hidratados.

- Úlceras

Também podem suceder. «Podem classificar-se em agudas (desaparecem, na maioria das vezes, em duas semanas) ou crónicas (permanecem além das duas semanas). Por norma, surgem em fases mais avançadas da doença que pode eventualmente estar em causa», explica Miguel Stanley. Consulte o médico se sentir dor ou se a úlcera, apesar de assintomática, «persistir por um período superior a duas semanas após a remoção do possível fator causal», aconselha.

«As úlceras agudas podem surgir devido a deficiências nutricionais (ferro, vitamina B12 ou ácido fólico), reações alérgicas a alimentos ou toma de certos medicamentos», explica o médico dentista. O surgimento de úlceras pode também ser sintoma de «anemia, cancro oral, sífilis, queilites (uma inflamação da pele dos lábios) ou leucemia», esclarece o especialista.

Deve aplicar um gel com cloro-hexidina três vezes ao dia para desinfetar a zona onde se encontra a úlcera, favorecer o alívio da dor e a cicatrização. Tenha também atenção ao manuseamento da escova (deve ser suave) e de outros instrumentos da higiene oral, como o escovilhão.

Veja na página seguinte: O que pode estar na origem de uma gengivite

Comentários