Medicamentos para a expetoração

As dosagens recomendadas e os possíveis efeitos secundários

Os dias de chuva e com temperauras baixas favorecem as constipações e ataques de tosse, muitos deles com expetoração. Em casos mais simples, uma ida à farmácia pode resolver o problema, desde que se cumpram regras essenciais.

Cristina Azevedo, farmacêutica, diz-lhe quais são as mais indicadas para este problema, indicando as substâncias ativas dos medicamentos não sujeitos a receita médica a que recorrer, os mucolíticos.

Encontra este tipo de medicamentos sob a forma de xarope, gotas orais, comprimidos efervescentes ou granulados, comprimidos e cápsulas. «Reduz a viscosidade do muco e altera a sua estrutura, facilitando a sua remoção. Os efeitos secundários, interações e contraindicações dos princípios ativos mais comuns (acetilcisteína, ambroxol, bromexina e carbocisteína) poderão condicionar a escolha», explica a especialista.

No que se refere à dosagem  para adultos, estas são as quantidades recomendadas:

- Acetilcisteína, 200 mg, 3 vezes/dia ou 400 a 600 mg/dia de 1 só vez
- Ambroxol, 30 a 120 mg por dia, divididos em 2 ou 3 vezes por dia
- Bromexina, 8 a 16 mg, 3 vezes por dia
- Carbocisteína, inicialmente 750 mg, 3 vezes por dia, e após resposta ao tratamento, 1,5 g/dia, em frações divididas

Efeitos secundários e contraindicações 

Os potenciais efeitos secundários deste tipo de medicamentos são broncoconstrição (acetilcisteína), náuseas (acetilcisteína, ambroxol, bromexina e carbocisteína), vómitos (acetilcisteína, ambroxol, bromexina), diarreia (acetilcisteína, ambroxol, bromexina), cefaleias (acetilcisteína), dor epigástrica (bromexina), irritação gastrointestinal e rash cutâneo (carbocisteína) e/ou hepatoxicidade (bromexina). No que se refere a contraindicações, «há interação da acetilcisteína com nitroglicerina (usada no tratamento da angina de peito)», explica a farmacêutica. Aconselhe-se sempre, contudo, com o seu médico antes de tomar este tipo de medicamentos.

Comentários