Mais um passo na luta contra o cancro de cabeça e pescoço

Por Jorge Rosa Santos

O Grupo de Estudos do Cancro de Cabeça e Pescoço (GECCP) deu um passo em frente no combate a uma doença que mata 3 portugueses por dia. Ao integrarmos a Sociedade Europeia de Cabeça e Pescoço (EHNS) tornámo-nos membros de uma entidade que nos permite a nível Europeu, combater uma doença curável nas suas fases mais precoces, mas muito mutilante e com alta taxa de mortalidade em fases mais avançadas, e cujos principais factores de risco são o consumo de álcool e tabaco.



85% das vítimas são ou foram fumadores



Não nos podemos esquecer que em Portugal, os carcinomas da cabeça e pescoço são a 4ª patologia com maior incidência em indivíduos do sexo masculino, isto se agruparmos as diferentes localizações (laringe, faringe, cavidade oral e nasofaringe).



O facto de sermos membros desta plataforma comum possibilita a partilha de experiências entre os diversos grupos de referência que estudam esta doença na Europa; discutir as práticas do dia-a-dia entre otorrinolaringologistas, cirurgiões de cabeça e pescoço, estomatologistas, radioterapeutas, oncologistas médicos, imagiologistas, anátomo-patologistas e psicólogos clínicos; uniformizar critérios de sensibilização dirigidos à população e, muito importante, definir guidelines de diagnóstico e tratamento.



Na Europa, - com cerca de 143.000 casos de cancro da cabeça e do pescoço e mais de 68 mil mortes/ano - os sinais de alerta são ainda ignorados. A sua incidência tem vindo a aumentar e a abordagem deve ser, cada vez mais, multidisciplinar, se queremos melhorar a qualidade de vida destes doentes.





Comentários