Infeção por HPV

Todas as mulheres estão em risco. Especialistas dizem-lhe como pode manter-se a salvo

O Papilomavírus Humano (HPV) é um vírus silencioso, que não dá sinais. Afecta 300 milhões de mulheres em todo o mundo e pode levar ao desenvolvimento de cancro do colo do útero, um tumor que mata uma mulher por dia. Saiba como escapar a esta estatística!

Em Portugal, uma em cada cinco mulheres, dos 18 aos 64 anos, tem infecção por HPV (Papilomavírus Humano).

Esta é a principal conclusão do Cleopatre, o primeiro estudo epidemiológico de prevalência da infeção por HPV nas mulheres portuguesas, fruto de uma parceria com o Instituto Nacional de Saúde Dr. Ricardo Jorge e a Sanofi Pasteur MSD.

Com uma amostra de 2326 mulheres, distribuídas nas cinco regiões de Saúde de Portugal Continental, o Cleoptare concluiu também que, entre as mulheres HPV positivas, foi identificado, em 68% dos casos, um tipo de HPV de alto risco (o HPV 16), ou seja, aquele que tem mais possibilidade de causar cancro. Observou-se ainda que as mulheres entre os 20 e os 24 anos são as mais afetadas pelas infeções por HPV (28,8%), apesar do vírus infetar mulheres de todas as idades, mesmo as de grupos etários mais elevados.

De acordo com Carlos de Oliveira, coordenador científico do Cleopatre, este estudo é «de extrema importância porque, até ao momento, não existiam dados de prevalência das infeções por HPV em Portugal. A partir de agora, e tendo um melhor conhecimento da realidade em termos da prevalência do HPV, será mais fácil de compreender o modo como a vacinação pode alterar este cenário no nosso país».

O HPV é um vírus com mais de «200 tipos diferentes, dos quais, cerca de 30 afetam os genitais», explica Daniel Pereira da Silva, ginecologista. Alguns dos vírus são responsáveis por «lesões benignas, nomeadamente o 6 e o 11, que provocam cerca de 90% dos condilomas ou verrugas genitais». Por sua vez, os vírus de alto risco são capazes de provocar lesões pré-cancerosas e cancerosas da vulva, vagina, colo do útero e ânus». A transmissão do HPV é essencialmente sexual. Basta um simples contacto, não sendo necessário haver penetração.

Comentários