Guia anti-bullying

Psiquiatra da infância e adolescência ensina a lidar com esta forma de violência praticada e sofrida por crianças e adolescentes

Em 2004,22,1 por centodos alunos de escolas nacionais entre os 11 e 16 anosforam vítimas de bullying, enquanto 9,4 por centoeram agressores e 27,2 por cento tanto vítimas como agressores, revelou uma investigação com amostras nacionais representativas das autoras Susana Carvalhosa e Margarida Gaspar de Matos.

Criado na década de 90 pelo investigador norueguês Dan Olweus, quando pesquisava sobre tendências suicidas entre jovens adolescentes, o termo bullying refere-se a um tipo específico de violência que ocorre entre pares, geralmente na escola.

Embora o termo esteja cada vez mais em voga, o desconhecimento sobre os contornos do fenómeno continua presente. E, mais grave, convive com «a noção, de pais e educadores, de que este tipo de comportamento é uma parte normal do crescimento», sublinham as mesmas autoras.

Para compreendermos em que consiste, quais as suas causas, consequências e formas adequadas de actuar, entrevistámos Patrícia Almeida, psiquiatra da infância e adolescência no Hospital Privado da Trofa. Encontre as respostas às suas principais dúvidas, já a seguir.

O que é o bullying?

Bullying é o termo utilizado para descrever actos de violência física ou psicológica a uma criança, realizados de forma intencional e repetida no tempo, por uma ou mais crianças, numa situação em que é manifesto o desequilíbrio de poder. Por exemplo, quando a criança agredida é mais fraca, tem menor estatura, é mais nova, menos popular ou mais insegura.

Que tipos de bullying existem?

O chamado bullying directo toma forma através de agressões verbais e físicas e é o método preferido pelo sexo masculino. No bullying indirecto, a vítima é forçada ao isolamento social. Isto pode ser feito através da disseminação de boatos, da exibição na internet de episódios de agressão filmados em telemóvel ou da intimidação de outras crianças amigas da vítima. Este é o método preferido pelo sexo feminino. São exemplos de bullying a agressão física contra a criança ou os seus pertences, os insultos verbais, impedir outras crianças de brincarem com a vítima, espalhar boatos sobre ela e o ciberbullying.

Comentários