Excesso de peso e cancro de mãos dadas

Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), milhares de casos de cancro por ano, devem-se ao excesso de peso corporal ou à obesidade, este problema parece agravar-se na América do norte

Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), milhares de casos de cancro por ano devem-se ao excesso de peso corporal ou à obesidade. Este problema parece agravar-se para número superiores na América do norte.

Num estudo publicado no jornal "The Lancet Oncology", conclui-se que índices de massa corporal elevados derivados diretamente de quantidades excessivas de gordura corporal, são um dos maiores factores de risco para o desenvolvimento do cancro, responsáveis por uma grande percentagem dos novos casos reportados até 2012.

Este estudo conclui também que para neste momento, o problema mais grave na relação obesidade e cancro encontra-se nos Estados Unidos da América com uma percentagem na ordem dos 23% dos novos casos.

Na Europa esta percentagem encontra-se mais baixa rondando os 6,5% dos novos cancros ao ano e na Ásia e África esta taxa baixa consideravelmente para cerca de 1,5%.

Assim ter valores de índice de massa corporal elevados aumenta a probabilidade de vir a sofrer de cancros do cólon, recto, fígado, pâncreas entre outros.

Infelizmente, é esperado que o número de cancros relacionados com a obesidade ou excesso de peso cresça de forma mundial de acordo com o desenvolvimento económico.

Estas novas descobertas cientificas, destacam a importância de ajudar a população mundial a manter um peso saudável, acreditando-se que uma prevenção adequada pode diminuir de forma consistente o número de casos encontrados todos os anos.

Como saber o seu índice de massa corporal (IMC) e saber se está em risco:

IMC = Peso corporal (kg)  / Altura (m) X Altura (m)

Classificação:

Menor de 17  Muito abaixo do peso
Entre 17 e 18,49  Abaixo do peso
Entre 18,5 e 24,99  Peso normal
Entre 25 e 29,99  Excesso de peso
Entre 30 e 34,99  Obesidade I
Entre 35 e 39,99  Obesidade II (severa)
Acima de 40  Obesidade III (mórbida) 

artigo do parceiro:

Comentários