Energia de qualidade toma conta dos Hospitais da Universidade de Coimbra

"Unidades hospitalares são grandes consumidoras energéticas", diz especialista

A ISA instalou um sistema de gestão energética nos hospitais da Universidade de Coimbra que confere a esta unidade a capacidade de monitorizar e controlar os seus consumos energéticos.

Com este sistema, o hospital passou a ter também informação detalhada sobre a qualidade do fornecimento de energia, um aspeto fundamental para a gestão técnica de qualquer unidade de saúde com esta dimensão e características.

A ISA – Intelligent Sensing Anywhere -, uma empresa tecnológica portuguesa especializada no desenvolvimento de tecnologia de monitorização e gestão remota, desenvolveu uma solução completa de gestão energética para hospitais e unidades de saúde.

A solução inclui equipamentos de monitorização e um software de gestão energética que permite ler e analisar, remotamente e em tempo real, os dados energéticos. A esta solução a ISA pode acrescentar serviços que lhe permitem gerir de forma global e completa todo o processo de gestão energética: auditoria, gestão e certificação energética.

Atualmente, com este projeto, os hospitais da Universidade de Coimbra têm um sistema que permite monitorizar os consumos energéticos do bloco central do hospital trazendo, desta forma, benefícios para toda a equipa: redução de custos (financeiro), melhoria da imagem do hospital perante os stakeholders, mais e melhor informação para uma gestão mais eficiente, controlo sobre os consumos e a segurança energética, para além da avaliação financeira de investimentos futuros em medidas e tecnologias eco eficientes (infraestruturas, gestão e financeira).

Segundo Isabel Daniel, engenheira eletrotécnica dos HUC, este sistema é fundamental porque «permite saber em que estado é que se encontra a rede elétrica, onde é que se está a consumir mais e onde é que podemos melhorar».

Este projeto ainda está numa fase inicial, mas estima-se que o hospital reduza entre 15 a 20 por cento os seus custos energéticos.

Comentários