Dores reumáticas

As doenças que estão na sua origem e os factores que as podem agravar, mas que pode controlar

«É rara a doença reumática que não causa dor e não há nenhuma que não a cause em qualquer período da sua evolução», sublinha Jaime Branco, ex-presidente da Sociedade Portuguesa de Reumatologia.

Mas parece ser a fibromialgia a patologia que provoca mais dor. «São os doentes fibromiálgicos que nas escalas visuais analógicas para a dor têm pontuações mais elevadas, mesmo mais do que a artrite reumatóide ou a artrose em grau avançado», refere.

«Existem, contudo, dores excruciantes como uma metástase óssea ou a fractura osteoporótica», explica ainda. Segundo o especialista, as tão comuns lombalgias têm uma particularidade. «A referência da dor na região lombar é, na maior parte dos casos, desconhecida. Claro que o aumento da tensão muscular, que tem que ver com algumas profissões, com a posição em que temos de estar no nosso dia a dia é capaz de ter interferência, assim como o estilo de vida», diz Jaime Branco.

«Sabemos hoje, por exemplo, que o consumo de tabaco aumenta a incidência de lombalgias», sublinha ainda o especialista. Isto sem esquecer a falta de exercício físico uma das mais importantes variáveis na saúde do sistema músculo-esquelético.

Atacar a doença

O sexo feminino é o que mais sofre com dores reumáticas que podem ter múltiplas localizações, desde dor generalizada, dores nas articulações, ossos, entre outras. «A generalidade das doenças reumáticas é mais frequente nas mulheres, quer a fibromialgia, a osteoporose ou as doenças articulares inflamatórias», destaca o especialista. E se é verdade que as dores reumáticas são mais comuns no fim da vida, é também certo que as patologias que estão na sua origem se arrastam ao longo de décadas. Por isso o ideal é preveni-las.

Como há doenças do sistema musculo-esquelético que não é possível evitar que apareçam, «a melhor prevenção das dores reumáticas é tratar a doença que está subjacente». Ou seja, uma vez surgida a patologia esta deve ser controlada de maneira a não favorecer complicações. Ir ao médico quando aparecem as primeiras queixas é regra de ouro pois «doença tratada é igual a menos dor ou nenhuma dor, apesar da doença existir», diz Jaime Branco.

Segundo o especialista, «todos os medicamentos que se utilizam nas doenças reumáticas têm como função ou tratar a dor ou tratar a própria doença em si. E debelando a essência da patologia podem também melhorar a dor».

Comentários