Como venci a bulimia

O testemunho, as dicas e os conselhos de Ana Guerreiro

Aos 22 anos, fiquei com bulimia. Ao fim de alguns meses de sofrimento, reflecti sobre este grave problema e, como não queria tomar anti-depressivos nem queria sofrer as consequências que esta doença acarretava, percebi que tinha uma vida a ser vivida, mas estava a desperdiçá-la!

Ao fim de seis meses, não só tinha conseguido reduzir os episódios de ingestão compulsiva, como também tinha criado um novo hábito que guardaria para toda a vida, o da inteligência emocional.

Ora, este hábito permitiu-me tomar as rédeas da minha compulsividade, aprender a gerir frustrações e canalizá-las para outras actividades que não a comida. A partir daí, desenvolvi uma série de estratégias que não fossem rígidas demais (pois uma grande frustração, por vezes, pode ser mais nociva que um alimento pouco saudável), nem que me permitissem descuidar demasiado. São de baixo custo, eficazes e proporcionam alguns bons momentos:

1ª dica – Desintoxicar pelo menos uma vez por semana
Pode tomar um banho de imersão com pétalas de plantas se as colher no campo ou no jardim.
Custo: 0 €
Tempo: 15 – 20 minutos
Utilização: Pelo menos uma vez por semana, pode aproveitar um dos dias do fim-de-semana para se dedicar à sua desintoxicação. O domingo, por ser um dia mais tranquilo, é óptimo para tal, especialmente o final do dia, quando nos preparamos para uma nova semana. Este é também o momento em que algumas pessoas sentem uma leve quebra no entusiasmo. Ao desintoxicarmo-nos, ajudamos as funções psico-fisiológicas do nosso corpo.

2ª dica – Respiração consciente (5 segundos para inspirar e 5 segundos para inspirar)
Ajuda a lidar com o stress, a refrear o desejo de comer e restabelece a coerência cardíaca.
Custo: 0 €
Tempo: Sempre que se lembrar, pois não é perder tempo fazer-se algo que deveria ser natural como respirar e alimentar-se com mérito.
Utilização: Todos os dias.
Sugestões: Crie balões de oxigénio na sua vida, por exemplo. Compre mesmo um balão (o de que mais gostar) e coloque-o preso onde lhe aprouver. Assim, lembrar-se-á de respirar adequadamente sempre que olhar para o ele. Inicie este avivar (a viver com ar) agora mesmo e anteverá o que a vida lhe vai sussurrar através da brisa pulmonar.

3ª dica - Nunca deixe de a tomar ao pequeno-almoço
Sem ele o seu metabolismo fica mais lento e queima calorias mais lentamente também, tornando mais difícil a perda de peso. Para além de que ao pequeno-almoço pode dar-se ao luxo de ingerir mais alimentos calóricos pois terá a garantia de que irá abater esses pequenos excessos ao longo do dia nas suas actividades, ao passo que ao lanche e ao jantar já não pode contar com esse benefício pelo facto de lhe sobrarem menos horas para os gastar. Beba água e sumos sem açúcar ou chás várias vezes ao dia.
Sugestões: Em jejum, beber um copo com água morna e umas gotinhas de limão mais uma pedrinha de sal (uma só pedra não irá dar sabor salgado). Segundo a medicina chinesa, esta bebida estimula o funcionamento de todos os órgãos, principalmente dos rins.

4ª dica – Caminhadas, abdominais e exercícios de alongamento
Custo: 0 €
Tempo: Sempre 20 a 30 min.
Utilização: Todos os dias ou pelo menos 3 vezes por semana.
Sugestões: Potencializar intervalos. Por exemplo, ver televisão e pedalar ou fazer step ou estar à espera no dentista e aperfeiçoar a técnica de respiração e apertar os joelhos um contra o outro para trabalhar os músculos internos da coxa.

E finalmente a última dica... O tempo de relax é sagrado!
Devemos deixar tudo de lado (inclusive sentimentos de culpa) e ter consciência que aquele tempo é, unicamente, para fazer rigorosamente nada! Ou optar por qualquer outra actividade que nos faça sentir bem connosco próprios e realizados interiormente. Verá que, assim, a pausa se torna o que deve ser, um intervalo para desligar-se, ainda que por uns minutinhos, para retomar o trabalho ou estudo com as forças renovadas. Dentro de si encontram-se os melhores antioxidantes, os emocionais.


Este testemunho é um dos relatos concorrentes ao Passatempo O leitor mais saudável do ano. Para saber quem ganhou, clique aqui.


artigo do parceiro:

Comentários