Como combater a prisão de ventre sem recorrer a medicamentos?

Mais de 50.000 portugueses vão anualmente ao médico por não conseguirem ir à casa de banho. Muitos combatem o problema com fármacos mas a alimentação também pode ajudar

Milhares de portugueses sofrem de prisão de ventre de forma regular, uma situação que gera desconforto e mal-estar. «De um modo geral, pode dizer-se que a obstipação de longa data não regride, implicando o recurso a laxantes. Contudo, existe um leque de medidas gerais que se devem tentar», recomenda Jorge Canena, médico gastrenterologista do Hospital Cuf Infante Santo em Lisboa e professor de gastrenterologia na Nova Medical School da Faculdade de Ciências Médicas da Universidade Nova De Lisboa (FCML).

Para contrariar o problema, este especialista sugere «a prática de exercício físico, o consumo de dois litros de água por dia e o consumo diário de quivis». «Misturar uma colher de farelo de trigo num alimento líquido e ingeri-lo duas vezes por dia» é outra das soluções propostas pelo médico, que também recomenda «associar um probiótico» à alimentação diária. «O que acontece é que, quando um doente sofre de obstipação de longa data, nem sempre essas medidas são eficazes, obrigando à utilização de laxantes», sublinha.

Também aqui a escolha deve ser cuidadosa e alvo de supervisão médica. «Estes devem ser preferencialmente laxantes de volume que habitualmente não são nocivos para o organismo», alerta Jorge Canena. Em Portugal, a prisão de ventre está na origem de cerca de 50.000 consultas da especialidade. Além da ingestão de água, o consumo de alimentos ricos em fibras (lentilhas, feijão e grão), legumes como os espinafres e a beterraba e frutos secos como a ameixa também ajudam a combater o problema.

artigo do parceiro:

Comentários