Cancro da tiroide

Patologia afeta quatro vezes mais as mulheres do que os homens


A tiroide é uma glândula localizada na base do pescoço, imediatamente abaixo da maçã de Adão. Tem a forma de uma borboleta, extendendo cada asa, ou lobo, sobre cada um dos lados da traqueia.

As funções da tiroide são produzir, armazenar e libertar para a corrente sanguínea as hormonas tiroideias.

As hormonas tiroideias, também designadas T3 e T4, regulam o metabolismo corporal e o funcionamento dos órgãos. Estas hormonas influenciam o batimento cardíaco, nível de colesterol sanguíneo, peso corporal, nível energético, força muscular, memória e muitas outras funções corporais.

Se a tiroide produzir um nível insuficiente de hormonas, o organismo reduz a sua atividade. Esta situação é designada tiróide hipoativa, ou hipotiroidismo. Em contrapartida, a tiróide pode produzir uma quantidade excessiva de hormonas, acelerando a atividade do organismo. Esta condição denomina-se tiróide hiperativa, ou hipertiroidismo.

A quantidade de hormonas tiroideias produzidas pela tiróide é regulada por uma outra glândula localizada no cérebro, a hipófise (ou pituitária). Uma outra parte do cérebro, o hipotálamo, contribui para esta regulação. Assim, o hipotálamo envia informação para a hipófise. Esta, por seu turno, controla o funcionamento da tiróide.

A maior parte dos carcinomas da tiróide são constituídos pelas formas de carcinoma diferenciado – papilar e folicular. Os carcinomas diferenciados da tiróide são de evolução lenta, têm uma boa resposta ao tratamento e apresentam uma maior taxa de cura.

O carcinoma papilar tende a ocorrer entre os 30 e os 50 anos de idade. O carcinoma folicular tende a ocorrer em doentes que são relativamente mais velhos (>40 anos de idade) do que os doentes que sofrem de carcinoma papilar.

Ver artigo completo

Comentários