Animais: uma das melhores companhias das crianças

Benefícios e riscos

“Mãe, gostava tanto de ter um animal de estimação”. Reconhece esta frase? Certamente que sim pois é típica de vários lares portugueses e da panóplia de pedidos que os filhos fazem aos pais ou a outros familiares chegados em certa etapa da infância. Quais os benefícios ou riscos da relação dos animais e das crianças? Leia tudo neste artigo.

A relação entre o homem e o animal remonta a 0,5 milhões de anos. O típico cão tarefeiro passou a ser um cão companheiro, carinhosamente considerado por praticamente todos nós como o “melhor amigo do homem”. E de facto, quem tem cães ou outros animais, refere a enorme companhia que proporcionam aos humanos. Não tão poucas vezes, são considerados como verdadeiros membros da família e até são lembrados como uma prenda de Natal nesta época do ano, seja em forma da comida ou ração apropriada ou um brinquedo… Nada mais natural!

Costuma também dizer-se que quem não gosta de animais “não tem bom coração” e que estes detectam facilmente “as boas pessoas”. Mitos ou frases feitas à parte, a verdade é que quando se aborda a questão do relacionamento entre as crianças e os animais, há que ter em consideração alguns procedimentos e regras. Acima de tudo, deve reinar o bom senso!

“Os adultos devem ser os supervisores, reguladores e responsáveis desta relação”, explica a Dr.ª Clara Alves Pereira, pediatra do Centro Hospitalar do Tâmega e Sousa, EPE. As crianças são imaturas em várias fases do desenvolvimento e devem compreender que os animais “não são brinquedos”.

Comentários