Alergias sob controlo

Como prevenir e tratar as alergias mais comuns na primavera

Quando falamos de alergias, todos pensamos em espirros, nariz a pingar, olhos vermelhos, tosse, falta de ar, cansaço e comichão na pele.

De facto, estas são algumas das manifestações mais frequentes e incómodas da reação alérgica, reação esta que, de acordo com a Sociedade Portuguesa de Alergologia e Imunologia Clínica, «é uma das consequências possíveis do funcionamento do nosso sistema imunológico».

«O nosso organismo defende-nos dos numerosos micróbios e substâncias presentes nos alimentos que comemos, no ar que respiramos e naquilo em que tocamos», acrescenta. Para Mário Morais de Almeida, presidente da mesma instituição, «diagnosticar, prevenir e controlar» são os pilares fundamentais para a resolução da maioria das alergias.

O que acontece no nosso corpo?

«Ter alergias na primavera é ter a vida afetada, é deixar de ir, de fazer, de viver», descreve o especialista. Em doentes alérgicos aos pólenes, «situação que poderá interessar a dois milhões de portugueses», esta época do ano torna-se a mais problemática, pois em «cada contacto com estes agentes, que se encontram muito concentrados na atmosfera, o organismo como que explode numa resposta exagerada, tentando combater a agressão, espirrando, tossindo, obstruindo as vias aéreas (o que leva à falta de ar), coçando e produzindo secreções», explica. O alergologista esclarece ainda que, ao contrário do que geralmente se pensa, «na alergia existem defesas a mais e não falta das mesmas».

O que fazer?

- Descubra se é alérgico sem saber
Se suspeita ter uma alergia respiratória (devido a sintomas como espirros, prurido nasal, tosse e fadiga), deve ir ao especialista. Cerca de 40% dos pacientes com rinite podem ter asma associada a tosse, dor no peito ou fadiga.

- Não se resigne
Há uma «falsa sensação» de que as alergias respiratórias têm pouca importância, no entanto, cerca de 50% dos pacientes apresentam limitações na sua vida diária.

- Siga o tratamento indicado
A expressão «a alergia passa com a idade», está, de acordo com Mário Morais de Almeida, «muito distante da realidade». Saiba que existem medicamentos muito seguros e eficazes, que «não dão sono, não alteram o apetite e dominam a alergia». Existem também vacinas antialérgicas que «podem modificar o curso das alergias e quase que podem levar à sua cura», refere o especialista.

- Escolha o exercício adequado
Exceto quando está sob uma reação asmática, é bom praticar desporto para melhorar a resistência do organismo. A natação é uma boa opção.

Comentários