Acabar com as dores

Entrevista com Armando Barbosa, Médico Anestesiologista e especialista na terapia da dor na PainCare
O tratamento da dor, nomeadamente a crónica, é uma preocupação recente e está relacionada com a procura, cada vez maior, de vida com mais qualidade. 
A dor representa atualmente um dos maiores problemas de saúde pública atingindo cerca de 20 a 30 por cento da população. Os custos com este problema ultrapassam os 2 mil milhões de euros por ano e representam uma perda de 1,5 milhões de dias de trabalho anuais para quem sofre da doença.
A dor aguda surge na sequência de um traumatismo ou cirurgia, representando uma defesa do organismo. Quando se prolonga por mais de 6 meses, a dor crónica torna-se uma doença.
Pode dividir-se a dor segundo a sua localização, origem e sintomas. Atualmente, uma das grandes causas é o envelhecimento que provoca um desgaste ósseo e articular nomeadamente da coluna vertebral. Outras causas de dor são a Diabetes, Neoplasias, Doenças Virais e Doenças do Sistema Nervoso Periférico e Central. Contudo, há casos em que a dor se torna por si só doença, permanecendo ativa mesmo depois de a causa inicial ter desaparecido.
Quem trata a Dor crónica?
Qualquer médico desde que possua os conhecimentos adequados pode tratar a dor crónica. Atualmente a especialidade que tem no seu programa de formação  a dor crónica é a Anestesiologia (anestesia).

Comentários