A quimioterapia no cancro da mama

Médica imagiologista especialista em Senologia esclarece em que consiste este tratamento e quais os seus efeitos secundários

A quimioterapia consiste na utilização de fármacos que destroem as células tumorais. São normalmente administrados por via endovenosa (através das veias). Os medicamentos entram assim na corrente sanguínea, circulando por todo o organismo. Durante a administração não é comum observar-se sintomas. Geralmente não há necessidade de internamento, sendo feito em ambulatório.

A quimioterapia está indicada nos seguintes casos:

- Quando são detectados gânglios invadidos na axila.
- Nas doentes consideradas com alto risco de recidiva, mesmo que não tenham metástases nos gânglios axilares.

Podem ser englobadas no grupo de alto risco de reaparecimento de cancro:

-Mulheres com idade igual ou inferior a 35 anos, independentemente do tumor ter ou não receptores hormonais.
-Mulheres na pós-menopausa se o tumor não apresentar receptores hormonais.
- Mulheres com tumores pouco diferenciados.
-Mulheres com tumores com mais de dois centímetros de diâmetro.
-Quando se detectam metástases em órgãos distantes, como o fígado, os pulmões, os ossos, etc.

Comentários