5 sinais que não deve ignorar

As mudanças, muitas delas quase impercetíveis, que podem camuflar problemas de saúde

Pequenas alterações, aparentemente inócuas, podem revelar desequilíbrios ou vir a confirmar o diagnóstico de uma doença mais grave. Não as descure.

Existem doenças, muitas vezes designadas como doenças silenciosas, que não se manifestam numa fase inicial, pelo que uma observação mais atenta a uma série de aspetos do seu organismo pode revelar-se fundamental e até mesmo decisiva.

1. Cabelo e unhas frágeis

A queda do cabelo, sem nenhuma razão aparente e sem ser no pós-parto ou na mudança de estação, por exemplo, pode ser um sinal de carências vitamínicas e de minerais, stress ou mudanças hormonais. Alguns medicamentos (contracetivos) e certas doenças (tumor dos ovários) costumam causar uma queda excessiva do cabelo.

As unhas frágeis podem dever-se a traumatismos ou a infeções por fungos, mas também a um défice vitamínico. Corrija eventuais carências alimentares e consulte um médico, se o cabelo cair de forma alarmante (até 100 cabelos por dia é considerado normal), deixando o couro cabeludo mais visível que o costume.

2. Gânglios inflamados

São os gânglios linfáticos que nos protegem contra as infeções. Geralmente, inflamam na zona das axilas, pescoço ou virilhas devido a infeções ou inflamações, como otites, amigdalites, abcessos dentários, gengivite, aftas e doenças de transmissão sexual (tais como a sífilis e a blenorragia). Alguns medicamentos e determinadas vacinas também podem causar o seu aumento.

Consulte um médico se os gânglios não voltarem ao seu tamanho normal em cerca de 15 dias ou continuarem a aumentar, se estiverem vermelhos ou sensíveis e/ou se estiverem duros, irregulares ou fixos no seu lugar. Procure ainda um especialista se tiver também perda de peso, suores noturnos ou febre prolongada.

3. Mau hálito

Pode ser consequência de uma higiene oral incorreta, da ingestão de alimentos fortes ou muito condimentados ou derivar de cáries dentárias. Se for crónica, pode indiciar doenças como sinusite, infeções pulmonares, diabetes, problemas intestinais ou insuficiência renal crónica. Uma boa higiene oral é, por isso, fundamental. Procure um especialista, se a halitose persistir e não tiver uma causa óbvia, ou se surgir febre ou secreção nasal.

4. Alterações na língua

A cor e o aspeto da língua podem indicar alterações noutras zonas do organismo. Uma carência vitamínica ou a anemia perniciosa (falta de vitamina B12) podem provocar vermelhidão na língua. A língua pálida e lisa indica uma anemia ferropénica (falta de ferro).

Já a presença de placas esbranquiçadas pode significar febre, desidratação, sífilis secundária ou doenças orais, como estomatite aftosa (múltiplas aftas). Consulte um especialista, se verificar alguma destas alterações.

5. Perda de peso

Uma perda de peso, sem alteração do estilo de vida ou hábitos alimentares, nos últimos seis meses, pode indicar deficiências nutricionais, perturbações endócrinas ou diabetes, hipertiroidismo ou doenças gastrointestinais. A depressão, a anorexia e a bulimia também podem estar em causa.

Siga, por isso, uma alimentação equilibrada e consulte o seu médico de família, se a perda de peso se mantiver constante, excessiva (superior a 10% do peso normal) e sem razão aparente.

Texto: Sofia Cardoso com Luísa Carvalho (médica especialista em medicina geral e familiar)

artigo do parceiro:

Comentários