Sabe ler a casca do ovo?

O código que conta a história do ovo
Desde 2004, por imposição das instituições da União Europeia, todos os ovos comercializados passaram a ter uma espécie de "bilhete de identidade".



O consumidor fica deste modo a saber, por intermédio de um código impresso na embalagem e no ovo, qual o país de origem do produto, em que condições foram criadas as galinhas e qual a zona de exploração.



Assim, o primeiro digito corresponde ao código do modo de criação; depois, as duas letras formam o código do estado-membro; segue-se mais um dígitoque indica qual a Direção Regional de Agricultura que supervisiona a exploração de onde os ovos são originários, também ela representada por um código de três algarismos.



Modo de criação



Sistema de gaiolas convencionais (Código 3): Os mais comuns, mais baratos e menos saudáveis. Este tipo de ovos é produzido por galinhas que passam a vida adulta numa gaiola. As dimensões das gaiolas estão definidas, correspondendo a 550 cm2 por animal. As condições de iluminação são modificadas para criar nas galinhas a ilusão de que há mais horas de sol e, portanto, fazer com que tenham uma maior produtividade.



Produção no solo (Código 2): Os animais não estão encerrados em gaiolas, mas juntos num extenso galinheiro. A densidade de galinhas é de aproximadamente 10 animais por metro quadrado e sem possibilidade de sair para o exterior. Neste código e no código 3 o bico das galinhas é cortado, uma vez que a situação de stress fazem-nas ter comportamentos anormais, como atacar outras galinhas ou auto-mutilação.
Ver artigo completo

Comentários