Quatro sabotadores da dieta masculina (e que passam por aliados)

Conheça os maiores sabotadores da sua dieta que o fazem fracassar quando quer perder peso. Muitos deles passam por aliados. Reconheça-os e crie o seu próprio colete à prova de balas calóricas. As dicas são da nutricionista Ana Rita Lopes, do Hospital Lusíadas Lisboa.

Passar fome

Demasiadas pessoas acreditam que para perder peso é necessário passar fome. Daí a popularidade dos jejuns, que na verdade potenciam a capacidade de armazenamento do organismo.

Passar demasiadas horas sem comer (mais que 3 ou 4 horas) não é recomendado, dado que ocorre uma diminuição da produção das hormonas da saciedade (como a leptina) e um aumento da produção de grelina, que se traduz na sensação de fome. Sentir fome pode ser prejudicial ao controlo de peso, fazendo-nos desejar alimentos mais calóricos, que acabamos por mastigar mal e depressa, ingerindo quantidades superiores às que, na realidade, necessitamos.

Além disso, durante um período de jejum prolongado, o organismo utiliza as reservas de energia, não as de gordura, mas as reservas musculares. Assim, ocorre perda de peso mas à custa de massa muscular e não de massa gorda.

Comer fora de casa

Face ao ritmo do quotidiano, são cada vez mais os homens que comem fora de casa à hora de almoço, seja por falta de tempo ou por comodismo. Os produtos mais consumidos acabam por ser o pão, batatas e salgados. Acha que algum deles o ajuda a perder peso?

Realizar refeições saudáveis fora de casa é possível, basta que, para isso, tenhamos em conta alguns cuidados:

- Dispense as entradas e inicie a sua refeição com uma sopa de legumes, se possível sem batata;

- Peça para o seu prato ser cozinhado de forma diferente se a proposta no menu não for a mais saudável (por exemplo pedir para grelhar o bife em vez de fritar);

- Se o prato tiver molhos, peça para estes serem servidos à parte, assim poderá optar por pouca quantidade ou por não os utilizar;

- Opte por substitutos, por exemplo salada em vez de batatas fritas;

- Peça que lhe coloquem maior quantidade de legumes ou salada no seu prato, reduzindo a quantidade dos outros alimentos como arroz, massa ou batata;

- Se almoçar com um amigo ou colega, divida os aperitivos ou até mesmo a sobremesa;

- Prefira a fruta como sobremesa.

- Não adicione molhos extra (ketchup, maionese, mostarda…) ao seu prato;

- Coma devagar, mastigue bem os alimentos e perceba atempadamente quando está satisfeito.

Ser demasiado restritivo

Há quem divida mentalmente os alimentos entre os ‘bons’ e os ‘maus’. Quando acaba por comer algum dos alimentos proibidos fica com a sensação de culpa. Depois disso, a tendência é pensar que tudo está perdido e é precisamente nessa altura que a dieta se torna catastrófica. Como agir quando nos apetece comer um dos alimentos “proibidos” sem ficar com sentimento de culpa?

Incluir uma refeição dita “não saudável” numa dieta para perda de peso não é necessariamente mau. Muito pelo contrário. É perfeitamente viável fazer uma refeição mais calórica, uma vez por semana. Uma refeição, não um dia inteiro. Essa refeição deve ser feita sem culpas e nela devemos incluir os alimentos de que mais gostamos e que sabemos que só devemos consumir esporadicamente. Se mantiver uma dieta equilibrada durante o resto da semana, não vai ser este “pecado alimentar” que irá deitar abaixo todo o esforço realizado.

O ideal será fazer esta refeição num dia de treino, até algumas horas depois, em que o metabolismo se encontra mais elevado, utilizando os nutrientes como substrato energético e potenciando a recuperação. No dia seguinte, aproveite para reforçar o exercício físico. 

Comentários