Hidrate-se pela sua saúde

É, quase sempre, quando sentimos sede que nos lembramos de beber água. Mas a verdade é que a sede já é um sinal de desidratação, um aviso de que o organismo precisa de líquidos.

A água é vital. Constitui mais de metade do peso corporal e intervém nas funções normais do organismo. É ainda através da água que os nutrientes fornecidos pela alimentação são distribuídos e as substâncias tóxicas são eliminadas. Além disso, contribui para regular a temperatura corporal: é por isso que transpiramos.

Sem água há órgãos que deixam de funcionar corretamente, abrindo caminho a problemas de saúde como a formação de “pedra” nos rins ou a prisão de ventre. E até pode ser afetada a capacidade de memória e de concentração.

É um risco que se corre se houver um claro desequilíbrio entre a água que o organismo recebe e aquela que perde, através da urina, das fezes, do suor e da respiração. E perde-se ainda mais em ambientes quentes e húmidos, em altitude e quando se pratica atividade física, particularmente se esta for intensa.

Precisamos, pois, de líquidos. E a melhor fonte é a água, que tem a grande vantagem de ser acessível e de não possuir calorias. Mas os alimentos também são bons, sobretudo as frutas e os vegetais. A sopa, particularmente de legumes é, aliás, um alimento repleto de benefícios, pois alimenta e hidrata, sem trazer grande aporte calórico.

Mas de quanta água precisamos? A dose diária depende de fatores como a idade e o tipo de vida: lactentes e crianças, grávidas, idosos e desportistas têm necessidades adicionais, mas estima-se que, para um adulto saudável, o ideal sejam aproximadamente 1 litro e meio a dois litros por dia, mais gole, menos gole…

E que devem ser bebidos sem esperar pela sede. Nos meses mais quentes, esta é uma mensagem essencial: afinal, o calor faz perder mais líquidos. Por isso, beba água, pela sua saúde.

Saiba mais em www.revistasauda.pt

artigo do parceiro:

Comentários