Frigorífico à prova de bactérias

Os cuidados preventivos a ter com a arrumação e a disposição dos alimentos

Dificilmente pensamos numa cozinha sem um frigorífico mas será que sabemos arrumá-lo para tirar partido de todas as suas potencialidades e preservar a qualidade dos alimentos? O primeiro frigorífico para uso doméstico surgiu em 1913 e, desde aí, a tecnologia associada a este eletrodoméstico não tem parado de se desenvolver. No entanto, a conservação dos alimentos continua a depender muito da forma como arruma o seu frigorífico.

A primeira regra, de acordo com Paula Teixeira, especialista em segurança alimentar e microbiologia e professora na Escola Superior de Biotecnologia da Universidade Católica do Porto, é uma recomendação fundamental. «Nunca encha o frigorífico para que o ar frio circule para manter todos os alimentos armazenados à temperatura adequada», refere. E, por falar em temperatura, esta deve rondar os 5º C nas prateleiras centrais. 

Outro aspeto a ter em conta é separar alimentos crus dos cozinhados. Os primeiros «podem estar contaminados com bactérias patogénicas que serão eliminadas durante a sua preparação. Se forem juntos com alimentos já cozinhados e prontos a comer, podem contaminá-los (a chamada contaminação cruzada) e estes alimentos não sofrerão qualquer tratamento posterior que destrua estes contaminantes», refere a especialista.

Estes são outros dos cuidados a ter:

- Prateleiras superiores
Aqui deve colocar os alimentos cozinhados, os iogurtes, os queijos, os molhos e compotas de fruta.

- Prateleiras inferiores
Está logo acima das gavetas dos legumes e, como é aquela onde a temperatura do frigorífico é mais baixa (geralmente ronda os 2º C), é aqui que deve arrumar carnes, peixes e mariscos crus.

- Prateleiras intermédias
São ideais para refrigerar produtos de charcutaria, saladas preparadas, bolos com cremes e doces de colher.

- Gaveta
Serve para preservar as frutas e os legumes.

- Congelador
Os alimentos só poderão ser congelados em arcas congeladoras ou congeladores com três ou quatro estrelas, que geralmente têm temperaturas inferiores a –18 º C.

- Porta
É a zona menos fria do frigorífico, e, por isso, deve servir apenas para pôr leite, ovos, manteiga, água, sumos e vinho.

4 regras de utilização essenciais

1. Os alimentos cozinhados devem ser guardados no frigorífico, tapados para prevenir contaminações cruzadas. Tape os recipientes com a tampa ou com película aderente.

2. Depois de cozinhados, os alimentos não devem ser mantidos à temperatura ambiente mais de duas horas. Para que a temperatura dos alimentos não interfira com a do interior do frigorífico e a dos alimentos já armazenados, o ideal é arrefecê-los rapidamente, distribuindo-os por recipientes pequenos ou deixando-os em banho de água fria.

3. Quando congelar alimentos, divida-os em porções pequenas, de modo a que congelem rapidamente. Os legumes devem ser escaldados e arrefecidos rapidamente antes de serem congelados. Assim, inativa as enzimas que resistem ao processo de congelação e que os degradam.

4. Lave o frigorífico semanalmente e sempre que se justifique. Existem produtos específicos para limpar o frigorífico mas pode usar água morna com vinagre ou bicarbonato diluído em água.

Devemos descongelar os alimentos à temperatura ambiente?

Não! Os alimentos devem ser descongelados no frigorífico ou no micro-ondas. Paula Teixeira, especialista em segurança alimentar e microbiologia, explica porquê. «No exterior, os alimentos descongelam mais depressa e podem atingir temperaturas que permitam o crescimento de bactérias», defende. Se usar o micro-ondas, cozinhe os alimentos de imediato.

Texto: Rita Caetano com Paula Teixeira (especialista em segurança alimentar e microbiologia)

artigo do parceiro:

Comentários