Está na altura de fazer um detox líquido?

Muito em voga, as bebidas de purificação do organismo são, muitas vezes, confundidas com dietas de emagrecimento. Saiba quando e porque as deve beber e como as preparar

Antes de mais é preciso ter em mente que os programas detox não são dietas nem programas de emagrecimento. «São, sim, uma forma de dar um descanso ao nosso sistema digestivo e, assim, fornecer ao organismo a possibilidade de canalizar todas as suas energias para o processo natural de desintoxicação, que é feito muito eficazmente pelos rins, pelo fígado, pelos intestinos, pelos pulmões e pelos pele», explica Teresa Alves Barata, fundadora da Liquid e health coach. O primeiro passo de uma desintoxicação é ter em conta a qualidade dos alimentos e da água ingerida.

Um detox de sumos e smoothies verdes, com a adição dos suplementos corretos, ajuda a estimular as funções dos órgãos internos, potencializa a eliminação de resíduos e fornece as enzimas, aminoácidos, vitaminas e minerais que ajudarão o sistema a fazer o seu trabalho. A health coach deixa, contudo, um aviso. «Temos de ter noção que não podemos estar constantemente a líquidos. E o programa de detox de sumos tem vitaminas e minerais, mas falta-lhe hidratos de carbono e proteínas», refere.

Os jejuns são milenares. Fazem-se desde sempre. «Se fizermos um detox estamos a dar um descanso ao sistema digestivo e a dar um boost de nutrientes para os órgãos que fazem a eliminação de toxinas funcionarem melhor. As toxinas agarram-se à clorofila dos vegetais verdes e são libertadas no organismo. Claro que há quem exagere. Já aconteceu ter clientes a quem tive de recusar o detox», confessa a especialista.

O prazo recomendado

O máximo que deve fazer são seis dias de seguida. «Nunca mais», alerta Teresa Alves Barata. «Aconselho mesmo a fazer um dia por semana, à segunda-feira por exemplo. Ou então, como eu, beba um sumo verde todos os dias», recomenda a health coach. «O sumo verde é uma sopa crua ou uma salada batida. Não faz qualquer sentido dizer que faz mal. É tudo uma questão de bom senso», considera a empreendedora.

Como fazer um smoothie corretamente?

A imaginação é o limite. «O rácio para um smoothie, para quem está a começar, é de 50/50. E, quando já estiver acostumada a fazer um sumo ou smoothie, junte cerca de duas peças de fruta para o restante em vegetais», explica Teresa Alves Barata. Os vegetais e frutas mais escolhidos para fazer estes sumos são, por exemplo, o abacate, o aipo, a couve, os espinafres, a hortelã, o agrião e a rúcula. Mas há outros. Por serem alimentos verdes, são ricos em minerais, magnésio e cálcio, que melhoram a densidade óssea, reduzem o colesterol e são anti-cancerígenos.

Os frutos vermelhos, o tomate e as bagas de goji são alimentos de cor avermelhada que ajudam a reparar danos nas células, além de terem propriedades antioxidantes. A cenoura, a laranja, o abacaxi e o gengibre são, como a maçã, alimentos de cor alaranjada ou amarelada, antioxidantes poderosos que inibem os radicais livres, previnem o envelhecimento e fortalecem o sistema imunitário.

Texto: Joana Brito

artigo do parceiro:

Comentários