Beterraba

Um alimento protetor do fígado que oferece propriedades anticancerígenas

Muito cultivada na Europa, a beterraba, para além de matéria-prima para a produção de açúcar e biocombustível, é um alimento com propriedades benéficas comprovadas.

A sua fibra alimentar retarda a absorção dos hidratos de carbono do sangue, aumentando os níveis de energia no organismo. Um estudo publicado em 2008 no American Journal of Clinical Nutrition demonstrou a descida da homocisteína após a ingestão de um composto da beterraba, a betaína.

Neste ensaio, oito pacientes (19 a 40 anos de idade) consumiram diariamente cerca de 500 mg de betaína em suplemento alimentar ou incluída na alimentação, o que conduziu a diminuições na homocisteína plasmática seis horas após a sua ingestão, um fator de proteção contra o aparecimento de acidentes cardiovasculares.

Princípios ativos

Destaca-se a betaína, com propriedades antitumorais e anticancerígenas (quando aplicada isoladamente, provoca efeitos adversos, principalmente a nível hepático, algo que não sucede quando é administradana na sua forma natural, com outros constituintes da beterraba). A betaína tem propriedades hepatoprotectoras e hipocolesteromimiantes. A beterraba oferece também ferro, muito importante na formação da hemoglobina.

Principais funções

A beterraba é um dos alimentos mais consumidos para combater a anemia. É muito utilizado em oncologia, pois ajuda a reduzir os efeitos secundários da quimioterapia, aumentando a eficácia do tratamento. Desintoxica o organismo e evita as anemias comuns nestes pacientes.

Tónica e protectora do fígado, ajuda a reduzir o colesterol, é purificadora do sangue e útil na homocistinúria, uma doença diagnosticada pelo teste do pezinho e em que ocorre um aumento de homocisteína no sangue, o que pode causar um acidente vascular cerebral (AVC) e enfartes do miocárdio, problemas de visão e diminuição do crescimento nas crianças.

Comentários