A gordura é mais prejudicial à saúde do que o açúcar?

Satisfazem as necessidades energéticas e outras funções do organismo, pelo que não devem ser totalmente removidos da alimentação. Saiba porquê!

Alguns tipos de açúcar e gordura devem ser incluídos na dieta alimentar, pois estes satisfazem as necessidades energéticas e outras funções do organismo. Os hidratos de carbono podem ser divididos em três grupos distintos, sendo eles os açúcares (monossacáridos, dissacáridos e poliois), os oligossacáridos e os polissacáridos, cuja função principal é fornecer energia ao organismo. Um grama de hidratos de carbono fornece quatro calorias.

Os monossacáridos são açúcares simples, sendo os mais comuns a frutose, a galactose e a glucose. A frutose encontra-se nas frutas, nos vegetais e no mel enquanto a galactose pode ser normalmente encontrada no leite e seus derivados. A glucose, presente em frutas, vegetais, açúcar de mesa, mel, leite e derivados e cereais, é a principal fonte de energia.

É necessária às funções do organismo, quer seja absorvida a partir do tubo digestivo, quer seja produzida pelo fígado. Ao estar presente em quantidades excessivas, a glucose é convertida em glicogénio, que é por sua vez armazenado no músculo e no fígado. Contudo, ao ultrapassar o seu limite de armazenamento, esta é convertida em gordura e armazenada no tecido adiposo.

O poder dos dissacáridos e dos monossacáridos

Os dissacáridos são a lactose, a sacarose e a maltose. A lactose encontra-se predominantemente no leite e seus derivados. A sacarose tem como principais fontes a cana-de-açúcar, as frutas, os vegetais, o açúcar de mesa e o mel e por fim, a maltose, que pode ser encontrada nos produtos de malte e em alguns cereais.

Os monossacáridos e os dissacáridos são fontes de energia rapidamente disponível e também de curta duração, isto porque como são pequenas moléculas, facilmente absorvidos a nível intestinal e utilizados pelo organismo. O consumo em excesso deste tipo de hidratos de carbono de absorção rápida poderá contribuir para o aumento do risco de desenvolvimento de algumas patologias.

Entre elas figuram problemas como a obesidade, a diabetes mellitus tipo 2, as doenças cardiovasculares, o cancro e as cáries dentárias. Relativamente ao risco aumentado de diabetes mellitus tipo 2, tal acontece porque o consumo excessivo de açúcar leva a um aumento da carga glicémica, o que por sua vez induz a intolerância à glucose e a resistência à insulina.

Veja na página seguinte: A ameaça das doenças cardiovasculares

Comentários