Vacina experimental contra o Ébola vai ser testada em humanos

No Hospital Carlos III, onde foi detetado o primeiro caso de doença em território espanhol, enfermeiros e profissionais de limpeza andam assustados. Novas terapêuticas em avaliação não acalmam receios

Uma vacina extraída a partir de um adenovírus de chimpanzé (ChAd3), demonstrou oferecer proteção contra o Ébola vírus durante um período de dez meses, além de aumentar o número de células que protegem o sistema imunitário da sua ação. Estes resultados, publicados na revista Nature Medicine, foram obtidos em macacos e garantiram luz verde para a passagem à fase seguinte, os testes em humanos.

A vacina oferece proteção contra o vírus Ébola do Zaire, um dos mais comuns e mortais, mas os investigadores acreditam que também poderá proteger contra outra forma comum, o vírus Ébola do Sudão. Além dos estudos em torno da vacina, os cientistas estão ainda a tentar otimizar a atuação de um medicamento, o Zmapp, que já foi testado, com sucesso, em dois pacientes que contraíram a doença na Libéria.

artigo do parceiro:

Comentários