Surto de legionella parece estar a diminuir

Autoridades da saúde voltam a pronunciar-se esta segunda-feira sobre o estado do surto. No sábado, subiu para oito o número de vítimas mortais da legionella. A última morte aconteceu no hospital de Vila Franca de Xira. Uma mulher de 89 anos acabou por não resistir à bactéria.
créditos: LUSA

Porém, desde sábado não há registo de nenhuma nova infeção.

O último balanço da Direção-geral da Saúde (DGS)  feito no domingo à tarde aponta para um total de oito mortes por legionella entre 317 casos diagnosticados.

Em termos acumulados, das 317 pessoas infetadas, 308 foram internadas na região de Lisboa e Vale do Tejo, três na região Norte, cinco na região centro e uma na região do Algarve.

Dos doentes internados na região de Lisboa e Vale do Tejo, 44 já tiveram alta clínica, bem como um dos doentes internados na região Norte e um outro na região do Algarve.

Os oito óbitos confirmados por doença do legionário correspondem a casos de pessoas com idades compreendidas entre os 52 e 89 anos, seis homens e duas mulheres. A taxa de mortalidade ronda os 2,5%.

Esta segunda-feira à tarde, será emitido um comunicado conjunto da DGS, do Instituto Nacional de Saúde Dr. Ricardo Jorge e da Administração Regional de Saúde de Lisboa e Vale do Tejo, a fim de detalhar a evolução do surto.

Piscinas reabertas

A Câmara de Vila Franca de Xira anunciou que decidiu reabrir esta segunda-feira os pavilhões e piscinas das três freguesias mais afetadas pela legionella, que estavam encerrados desde dia 9. A autarquia também já aconselhou escolas e clubes a retomarem as atividades normais.

artigo do parceiro: Nuno Noronha

Comentários