Sindicato dos Técnicos de Ambulância pede demissão do presidente do INEM

O sindicato dos técnicos de ambulância vai voltar a pedir ao Governo a demissão do presidente do INEM após a recomendação da inspeção de saúde para lhe instaurar um processo disciplinar por ter acionado indevidamente um helicóptero.
créditos: ANTÓNIO COTRIM/LUSA

“Vamos reforçar junto da tutela o pedido de demissão imediata do presidente do INEM. Já o tínhamos feito antes, quando os casos foram denunciados, mas vamos reforçar o pedido outra vez, porque este senhor não tem condições para estar no cargo. Aliás, se tivesse decoro, já se tinha demitido ele próprio há muito tempo”, disse hoje à agência Lusa o presidente do Sindicato dos Técnicos de Ambulância de Emergência (STAE).

A Inspeção-Geral das Atividades em Saúde (IGAS) recomendou ao ministro da tutela a instauração de um processo disciplinar ao presidente do INEM por ter privilegiado uma doente ao acionar um helicóptero.

Em causa está a conduta do médico e major Paulo Campos ao acionar um helicóptero para transportar uma doente terminal do Hospital de Cascais para o de Abrantes. O presidente do INEM terá violado os deveres profissionais ao privilegiar uma doente amiga.

Em declarações à Lusa, o presidente do STAE, Ricardo Rocha, disse não ter ficado surpreendido com as conclusões do relatório do IGAS.

“Surpreende-nos sim que o ministro da Saúde não o tenha demitido, que não tenha tomado uma decisão quanto ao caso”, salientou.

Ricardo Rocha disse que ainda não viu o relatório, mas tinha conhecimento do seu conteúdo.

“Agora, só esperamos que o Governo assuma as suas responsabilidades, que assuma que fez a escolha errada. Nós não somos loucos para denunciar coisas que não existem. Todas as coisas denunciadas até agora ocorreram e o IGAS é claro e acutilante diante da atitude do presidente do INEM”, frisou.

Comentários