Quase 30% da população mundial tem excesso de peso

Mais de 2,1 mil milhões de pessoas em todo o mundo - ou quase 30% da população mundial - tem excesso de peso ou é obesa. E o número deve aumentar até 2030, segundo um estudo divulgado esta quinta-feira.
créditos: AFP/VANDERLEI ALMEIDA

A obesidade é a causa de cerca de 5% de todas as mortes no mundo e tem um impacto negativo na economia global semelhante ao tabagismo e aos conflitos armados, de acordo com um trabalho de consultores do Instituto Global McKinsey, agora publicado.

O estudo prevê que pelo menos metade da população adulta mundial fique com excesso de peso ou obesa até 2030 e pede uma "resposta coordenada" de governos e fabricantes de comida, argumentando que uma ação direcionada poderá fazer 20% dos obesos voltarem ao peso normal dentro de dez anos.

Para além das consequências óbvias para a saúde, "a obesidade é um grande problema económico global, provocado por múltiplos fatores", destaca o estudo.

"Hoje, a obesidade concorre com os conflitos armados e o tabagismo em termos de impacto económico global provocado pelo homem", acrescenta.

O trabalho identificou 74 recomendações que, segundo os autores do estudo, ajudarão a reduzir a gordura abdominal em todo o mundo.

As recomendações incluem limitar o tamanho das porções em embalagens de comida rápida, a educação dos pais e a introdução de refeições saudáveis em escolas e locais de trabalho.

Obesidade é mais cara que tabagismo e conflitos armados

De acordo com os autores, a obesidade custa à economia global dois biliões de euros em cuidados de saúde e a perda de 2,8% do Produto Interno Bruto (PIB) mundial, cerca de 75 mil milhões de euros a menos do que o tabagismo e os conflitos armados juntos.

Comentários