PS quer resultados de inquéritos às falhas no Serviço de Emergência Médica

Caso da morte de homem de 39 anos por falta de médico na origem da reação do partido socialista
2 de maio de 2014 - 13h33



O PS anunciou hoje que vai requerer os resultados dos inquéritos às falhas no Serviço de Emergência Médica, pedindo ao ministro da Saúde que assuma responsabilidade depois de ter transformado o serviço "em algo que gera a maior intranquilidade nas pessoas".



"O PS vai requerer institucionalmente o resultado desses inquéritos, dessas inspeções, para que o senhor ministro não possa lavar novamente as mãos como Pilatos, para que compreenda que o Serviço de Emergência Médica não pode ter falhas, é para salvar vidas, tal como os controladores aéreos não podem ter falhas, porque estão vidas em jogo", afirmou o deputado do PS José Junqueiro, em declarações aos jornalistas no parlamento.



O Diário de Notícias noticiou hoje o caso da morte de um doente que teve de ser transportado ao hospital pelos bombeiros, porque a VMER (Viatura Médica de Emergência e Reanimação) das Caldas da Rainha esteve inoperacional na segunda-feira.



Lembrando que o ministro da Saúde foi confrontado há dois dias com as falhas na Emergência Médica durante uma audição no Parlamento e revelou "completa ignorância sobre os resultados dos inquéritos e inspeções" pedidas, José Junqueiro insistiu que o governante tem de assumir as suas responsabilidades.



"Não se trata só de uma responsabilidade política, trata-se já neste caso de matéria de consciência e o senhor ministro tem de perceber que deve assumir imediatamente as suas responsabilidades, não se pode refugiar atrás de inquéritos, de inspeções, dos quais o país até ao dia de hoje não tem nenhum conhecimento", disse, acusando Paulo Macedo de ter transformado o Serviço de Emergência Médica "esse serviço em algo que gera a maior intranquilidade nas pessoas".



Recentemente, em Évora, a VMER do hospital da cidade também não saiu para socorrer duas vítimas de um acidente perto de Reguengos de Monsaraz, porque o médico escalado faltou.



Lusa
artigo do parceiro: Nuno Noronha

Comentários