Mais de 80% dos dias com qualidade do ar bom e muito bom

Mais de 80% dos dias apresentaram qualidade do ar “bom” e “muito bom” em 2013, apesar de este ano ficar marcado pela “mais baixa proporção” de dias com qualidade “muito bom” desde 2008, revelam dados do INE.

O índice de qualidade do ar, medido nas estações de rede de monitorização, traduz a qualidade do ar em Portugal, no qual são considerados poluentes como o dióxido de azoto, o ozono e as partículas inaláveis com diâmetro inferior a 10 micrómetros.

Em 2013, 77,4% dos dias apresentaram qualidade do ar “bom” e 15,3% qualidade ”médio”, adiantam as “Estatísticas do Ambiente” do Instituto Nacional de Estatística.

Em 2013, a percentagem de dias com qualidade de ar “muito bom” foi 4,9% enquanto em 2012 se situou nos 9%.

Fazendo um balanço do ano de 2013, o INE refere que se assistiu “em geral a uma melhoria dos indicadores ambientais”, num “contexto socioeconómico marcado pela contração da atividade económica”.

Além do índice de qualidade do ar, que contabilizou em 2013 mais de 80% dos dias com qualidade do ar entre “bom” e “muito bom”, a qualidade da água para consumo humano alcançou um valor de 98,2%”.

O INE adianta também que Portugal apresentou, em 2014, o maior número de bandeiras azuis dos últimos 12 anos, tendo sido hasteada em 298 praias, correspondendo a 53,5% do total de praias classificadas.

Segundo as estatísticas, o setor da energia é o principal emissor de gases de efeito de estufa (GEE), tendo contribuído em 2012 com 69,4% das emissões (71,4% em 2011).

O consumo de energia primária em Portugal, em 2013, foi de 21 704 ktep, mais 1% que em 2012.

Comentários