Maioria aprova alterações à Interrupção Voluntária da Gravidez

A maioria PSD/CDS-PP aprovou na quarta-feira a obrigatoriedade de aconselhamento psicológico e social e de consultas de planeamento familiar às mulheres que recorrem à Interrupção Voluntária da Gravidez (IVG) e o fim do registo dos médicos objetores de consciência.
créditos: AFP/ PATRICIA DE MELO MOREIRA

Estas medidas constam de um texto de substituição apresentado por centristas e sociais-democratas à iniciativa legislativa de cidadãos pelo "direito a nascer".

Num debate muito intenso no parlamento, que foi antecedido, no início da votação, por protestos nas galerias, foi também aprovada a introdução de taxas moderadoras para a IVG, isenta por se incluir no âmbito dos cuidados materno-infantis.

artigo do parceiro: Nuno Noronha

Comentários