Investigadores de Aveiro apresentam solução para combater bactérias multirresistentes dos esgotos

Bactérias em causa podem provocar infeções simples ou sistémicas, respiratórias e intoxicações
24 de março de 2014 - 15h00



Uma equipa da Universidade de Aveiro (UA) desenvolveu um novo
método capaz de combater a resistência de estirpes bacterianas a vários
antibióticos.


O método, designado por terapia fotodinâmica, tem vindo a ser testado no tratamento de esgotos hospitalares onde são frequentemente encontradas bactérias multirresistentes. Segundo os estudos realizados até agora, a nova técnica mostra ser bem mais eficiente que outras abordagens convencionais, lê-se numa nota de imprensa da UA.



Bactérias periogosas para a saúde pública



As estirpes de bactérias em causa, onde se incluem, entre outras, o Staphylococus aureus e Enterococus sp., podem ser causadoras de infeções simples ou sistémicas, infeções respiratórias ou intoxicações de difícil tratamento devido à sua resistência a vários antibióticos conhecidos.



Apesar de serem mais frequentes nos efluentes hospitalares, também já foram também em estações de tratamento de águas residuais para onde aqueles acabam por ser conduzidos sem tratamento prévio.



A terapia fotodinâmica (PDI), método já usado no tratamento de certos tipos de cancro, está agora a ser testada por uma equipa multidisciplinar da UA no tratamento destes efluentes hospitalares.



A técnica consiste na utilização de “fotossensibilizadores”, como porfirinas, ftalocianinas, clorinas e alguns corantes que, que absorvem luz visível, transferindo energia para moléculas ao seu redor, originando espécies reativas de oxigénio (ROS – reactive oxygen species) que são altamente citotóxicas provocando alteração nas biomoléculas (proteínas, lípidos e ácidos nucleicos) destes microrganismos patogénicos, levando à sua inativação.

Comentários