Casos de Alzheimer vão triplicar até 2015

Estudo feito com base na população norte-americana

7 de fevereiro de 2013 - 11h47



O número de pessoas afetadas por doença de Alzheimer triplicará nas próximas quatro décadas, segundo um estudo feito com base na população dos Estados Unidos e publicado na quarta-feira pela Neurology.



O aumento é explicado pelo envelhecimento da geração do chamado baby boom, destacou Jennifer Weuve, co-autora da investigação que cruza dados sobre idade, origem étnica e formação da população norte-americana.



"Há cada vez mais pessoas afetadas pela doença, o que constitui um grande problema para o sistema de saúde e para os programas sociais", alertou a cientista, cita a agência France Presse.



A investigação, realizada entre 1993 e 2011 com 10.802 norte-americanos com mais de 65 anos, alerta para a "necessidade urgente" de avançar no estudo da doença e delinear estratégias de prevenção e atuação.



Em 2010, havia registo de 4,7 milhões de norte-americanos com este tipo de demência, mas o estudo indica que este número chegará aos 13,8 milhões em 2050.



Alzheimer é uma doença neurodegenerativa crónica, um tipo de transtorno cerebral que afeta a função cognitiva, a personalidade e a conduta.



Estima-se que em Portugal existam 153 000 pessoas com demência, 90 000 das quais com Doença de Alzheimer. Todos os anos, 1,4 milhões de cidadãos europeus desenvolvem este tipo de doenças, o que significa que a cada 24 segundos, um novo caso é diagnosticado.



SAPO Saúde com AFP

artigo do parceiro: Nuno Noronha

Comentários