Preparado para umas férias na neve sem incidentes?

Em Portugal ou no estrangeiro, muitas pessoas já não passam sem elas. Saiba quais são os cuidados essenciais para uma estadia na montanha divertida, segura e saudável.

Fazer férias na neve, com tudo o que isso implica, atrai cada vez mais pessoas. Tal como outras atividades, os desportos de inverno estimulam os músculos assim como a nossa saúde cardiovascular e metabólica. Segundo Elvis Carnero, fisiologista do exercício, «o facto de haver um elevado gasto de energia promove a melhoria do perfil das gorduras do sangue, maior eficiência no trabalho cardiovascular e incremento da força muscular».

Denis Metge, instrutor de esqui, refere ainda que, «quando se pratica este tipo de desportos em altitude, estimula-se a produção de glóbulos vermelhos e aumenta-se a resistência dos músculos e órgãos». Agora que conhece os seus benefícios, fique a par dos cuidados que deverá ter antes e durante a sua execução. Apesar de haver um número crescente de turistas a optar pelo frio, muitos ainda minimizam os cuidados a ter.

Os exames a fazer antes de ir

Antes de partir, é importante fazer um check-up, especialmente se tem uma vida sedentária. «Os exames são os mesmos que se fazem antes de se iniciar qualquer actividade física, nomeadamente examinar a situação cardiovascular e fazer testes de avaliação da condição física», esclarece Elvis Carnero. Quem sofre de problemas de coração «deve informar-se junto de um médico, antes da viagem», acrescenta Denis Metge.

Preparação da viagem

Dado que os desportos de inverno são mais exigentes do que as atividades a que estamos habituados, é fundamental começar a preparar-se no mínimo, um mês antes da viagem. Elvis Carnero, especialista habituado a lidar com estes turistas, recomenda a realização de «trabalho de ginásio dos membros inferiores, sobretudo ao nível dos joelhos, as articulações que sofrem mais lesões».

«Também é interessante fazer um trabalho em que se treina a sensibilidade neuro-muscular para que os músculos estejam adaptados a movimentos violentos e rápidos e a posições diferentes, como as do esqui e do snowboard. O objetivo é contrariar a tendência do dia a dia em que a informação que o músculo passa ao cérebro é relativa a movimentos mais lentos», refere ainda.

Riscos a evitar

A maioria dos riscos associados a uma viagem à neve está relacionada com o sistema músculo-esquelético. As lesões podem ser provocadas por falta de aquecimento, perigo de queda e velocidades elevadas. De acordo com Denis Metge, as mais frequentes são as «roturas de ligamentos, as musculares e as fraturas ósseas, especialmente os pulsos, no caso dos snowboarders».

«Há também o perigo de se sofrerem queimaduras solares, hipotermia e congelação», adverte ainda o instrutor de esqui. Estes quadros podem, em certa medida, ser evitados se respeitar as regras de segurança das estâncias de esqui, aplicar um protetor solar com um índice elevado e usar equipamento adequado.

Férias na neve e gravidez

Se estiver grávida, é melhor pensar duas vezes antes de empreender uma viagem deste tipo. Elvis Carnero salienta que «é preciso ter cuidado, já que o desporto vai ser realizado em superfícies instáveis o que aumenta a probabilidade de acidentes. Além dos riscos decorrentes das quedas na neve, estas podem trazer problemas ao feto». Aconselhe-se com o seu médico antes de ir.

Veja na página seguinte: Os alimentos mais aconselhados para a neve

Comentários