O corpo também pode ser uma arma

Aos 44 anos, Carlos Páscoa é um dos nomes do Krav Maga em Portugal. Adepto de várias modalidades desportivas, há dez anos decidiu experimentar com um amigo uma aula desta técnica israelita e gostou tanto que se tornou instrutor há seis anos. A par com a sua profissão no ramo automóvel, para este homem casado e pai de dois filhos, o Krav Maga tornou-se uma rotina diária, uma paixão e um vício.

Revista Insights (RI): O que é, afinal, para quem não sabe, o Krav Maga?

Carlos Páscoa (CP): Krav Maga é um sistema de defesa pessoal Israelita. O seu fundador é IMI Lichtenfeld .(criou e desenvolveu o krav maga) criado em Bratislava e mais tarde foi desenvolvido em Israel. Inicialmente era só para militares, mas depois de uns anos passou também a ser aberto para o público.

RI: É uma técnica, sobretudo de auto-controlo e defesa pessoal, mas o que é mais, desarmar um agressor com uma arma branca, com uma arma de fogo?
CP: É um sistema técnico e táctico onde todas as situações são possíveis de vir a acontecer. Todas as técnicas da simples abordagem, ao agarre ,a ameaça com armas brancas e de fogo .etc. são treinadas até à sua compreensão e eficácia.

RI: É fácil “dominar” um agressor se se conhecerem bem as zonas mais vulneráveis do corpo?
CP: Sim, de certa forma é correto dizer que é fácil dominar, pelo menos estamos muito mais vontade e mais atentos e despertos a qualquer situação de conflito que possa surgir.

RI: Quem ainda não dominar bem nenhuma das técnicas...o melhor será fugir?

CP: Um dos primeiros passos do Krav Maga que eu costumo dizer 1- prevenir; 2- lidar; 3- sobreviver em todas elas se a melhor opção for fugir então devo fugir é preferível do que a situação complicar ainda mais. A única coisa que pode ficar ferida é o orgulho nada mais, é uma opção inteligente.

RI: E se não se conseguir mesmo evitar um agressor, o que pode uma vítima fazer para melhor se defender?
CP: Evitar ao máximo o confronto mas se tal não poder ser evitado e que se aperceba que a sua vida corre perigo, então aí pratica-se Krav Maga, a melhor solução é utilizar eficazmente, se não pratica o conselho é praticar para poder ter a eficácia que este sistema utiliza para diversas situações de conflito.

RI: Olhos nos olhos, firmeza, nãomostrar medo ou gritar, há alguma solução para quem não é “herói”?
CP: Gritar é a melhor solução pelo menos existe uma reacção por parte do agredido que pode despertar a atenção de terceiros e assim sendo pode tornar dissuasora a intenção do agressor.

RI: Há cada mais assaltos, carjackings etc, o Krav Maga ajuda mesmo?
CP: Ajuda a tomar a decisão mais correta. Nada existe com mais valor que a VIDA como tal tudo o resto é valor material é com esse treino e compreensão que se consegue tomar decisões corretas não pondo a nossa vida e a dos outros em perigo.

RI: Não responder à violência não será a melhor solução, atendendo ao velho ditado popular “antes cobarde vivo que herói morto”?
CP: Acho que o ditado popular esta correto.

RI: Onde se pode aprender, quem pode praticar e quanto custa? Há algum equipamento especial?
CP: Consulte o site www.kravmaga-ad.com, aí encontrará os locais onde se pode praticar e os horários; os preços variam de ginásios ou associações (mas entre a média dos 25 euros mensal); a idade dos 8 aos 80 anos não tem limite de idade é preciso é ter espírito; equipamento para iniciar basta uma protecção genital e força  de vontade. Em todos os ginásios pode praticar uma aula experimental.

RI: Esta disciplina israelita tem regras? Pode considerar-se uma modalidade desportiva?

CP: NÃO. Por ser um sistema de defesa pessoal onde não existem regras. O que impera é a integridade física do mesmo. Como tal não pode ser uma modalidade desportiva. A luta é pela sobrevivência.

RI: Para ser eficaz, quantas vezes, horas por semana se deve treinar?
CP: Os alunos de duas a três vezes por semana (de três a seis horas); nós instrutores treinamos mais para poder manter sempre a máxima qualidade e confiança exigida ela organização (KMGLOBAL).

RI: Há quase mil praticantes de Krav Maga em Portugal... só homens ou, cada vez, meninas também?

CP: Não, não são só homens a praticar, e cada vez mais existem mulheres a praticar krav maga, de diversas idades e de diferentes estratos sociais, talvez pelos tempos que correm. Tenho alunas estudantes universitárias, advogadas, gestoras, professoras, recepcionistas, donas de casa, vendedoras, de tudo e cada vez mais em maior número. Aquela historia do sexo fraco que se desenganem pois tenho pessoas do sexo feminino que a treinar não ficam atrás do sexo masculino e muitas vezes pelo contrário mas mesmo pelo contrário. São fortes, desinibidas, corajosas e o Krav Maga ajuda-as a ganhar ou a recuperar auto confiança e auto estima. Ficam mais bonitas e mais fortes por dentro e por fora...capazes de dar conta da cabeça de um homem (Risos)

RI: De alguma forma esta Arte de Defesa também pode ajudar na sedução do sexo oposto?
CP: Na sedução... sedução talvez não, mas que atrai cada vez mais o sexo oposto isso sem duvida que atrai, pela auto confiança pela auto estima das mesmas, isso sem duvida. Daí que haja, como já disse, cada vez mais mulheres a praticar.

RI: Apesar de dar aulas de Krav Maga, esta não é sua profissão, mas já algum dia teve que utilizar, no seu dia a dia, em determinada situação, uma técnica de Krav Maga?
CP: (Risos...) Não...(ou talvez nim)

Ana Paula Almeida

Revista Insights

artigo do parceiro:

Comentários