Até onde se deve esforçar?

Ainda prevalece a ideia de que são necessárias dores extremas para que um treino seja produtivo e produza o resultado desejado. Será esta ideia a mais correcta para conseguir atingir os objetivos que pretende?

Ainda prevalece a ideia de que são necessárias dores extremas para que um treino seja produtivo e produza o resultado desejado.

Provavelmente esta ideia está associada ao facto de sofrer das maiores dores musculares quando começa a treinar, ou quando inicia um método de treino novo.

Com a adaptação à intensidade e nível de treino as dores atenuam e o progresso abranda. Mas quer isto dizer que é necessário sentir dor para existir progresso e por sua vez resultados efetivos?

Errado! As dores musculares são caracterizadas por um microtrauma produzido pelo exercício físico no tecido muscular, é portanto necessário a existência de dano muscular para que exista progresso, no entanto existem vários graus de dano.

Quando inicía o treino, ou quando inicia um método de treino novo, o corpo ainda não está adaptado a lidar com o stress, seja ele através de intensidade, tempo, ou carga, dai os níveis de dor serem mais intensos.À medida que o corpo se adapta, torna-se mais eficiente existindo um atenuar da dor.

Quer isto dizer que não é necessário que exista dor para que os processos metabólicos responsáveis pelo crescimento muscular, ou progresso (força, velocidade, mobilidade) aconteçam.

No entanto use estes 4 conceitos básicos para avaliar a qualidade do seu treino:

* Não é necessário existir dor para existir progresso

* Deve sentir alguma coisa no dia seguinte a um treino intenso. Inchaço, rigidez, falta de mobilidade, cansaço ou “pesado”

* É comum sentir mais dor em períodos de restrição calórica

* Favorecer uma síntese proteica positiva é o melhor indicador de progresso

Nunca deve usar Anti-inflamatórios de forma a mascarar a dor. Estes atuam sobre alguns dos processos metabólicos responsáveis pela reparação muscular impedindo a recuperação.

A pesquisa aponta para uma redução da atividade das células satélite de até 8 dias após o uso depois do treino.

De forma nenhuma deve usar esta informação para não sair da sua zona de conforto. Sair da zona de conforto é realmente necessário para que exista progresso.

Existe uma diferença entre saír da zona de conforto e acabar o treino de rastos com dores tão intensas que a incapacitam de treinar nos dias seguintes.

Lembre-se que deve acabar o treino a sentir-se melhor do que no início.

artigo do parceiro:

Comentários