No Inverno apetece lareira e… vinho!

O que precisa ter à sua volta para degustar em pleno um excelente vinho sem ter de, volta e meia, ir à cozinha, abandonando o calor junto à lareira? Para além do bom vinho, um conjunto de acessórios e, claro, um petisco.

Lançaram-me o desafio e aqui estou eu a aceitá-lo. Ainda bem que não é outra vez o desafio do balde água, é que agora no Inverno não vinha nada a calhar.

A época natalícia e as festas de ano novo já lá vão, é chegado o momento de relaxar e descansar. Sozinho, a dois, junto da família ou entre amigos, mas em casa junto da lareira, com um bom vinho por companhia.

Comecemos pela logística, o que precisa ter à sua volta para não ter que, volta e meia, ir à cozinha, acredite não é agradável sair do calor junto à lareira e ter de entrar numa divisão como a cozinha, forrada a azulejos e invariavelmente fria. Comecemos por escolher o vinho ou vinhos, um copo para cada pessoa, marcadores de copos, saca-rolhas, anti-pingos (sim, você não vai querer sujar o tapete!), guardanapos de papel e uma manga refrigeradora por garrafa para manter a temperatura correta do vinho, que se for Tinto não deve exceder os 18.ºC. Eu gosto muito de usar estas mangas e admito faço-o mais para os vinhos Tintos no Inverno do que propriamente para os Brancos, para os quais elas são indicadas. Compre de preferência as que abrem e que têm uma tira de velcro, pois assim adaptam-se mais facilmente a qualquer largura de garrafa. Tenha sempre uma no congelador, pronta a usar.

Antes referi marcadores de copos, como não vão estar sentados à mesa, mas sim espalhados pelos sofás ou mesmo no chão, vai chegar aquele momento que alguém já não vai saber qual é o seu copo. Por isso “marcar” o copo é recomendável. Para quem não conhece ainda, existem vários modelos de marcadores de copos, desde uma argola de metal que se coloca na base do copo, a marcadores de ventosa que se agarram ao cálice do copo, cada marcador tem uma cor ou um formato diferente para a pessoa identificar o seu próprio copo. Prefira os de silicone pois são de fácil manutenção e mais duráveis em comparação aos de metal, alem disso são coloridos e divertidos.

Agora vamos escolher o vinho para se beber junto da lareira, huuum… penso logo nos vinhos Tintos e Generosos, vinhos encorpados, redondos, capazes de aquecer a alma. Não devem ser demasiados acídulos ou adstringentes, porque esses são vinhos que pedem comida, pois acordam as papilas gustativas e o estômago. Se optar por um vinho Generoso, um Vinho do Porto jovem, frutado, vinoso, quanto aos Tintos, escolha um vinho com algum estágio em madeira, sem ser demasiado marcado. Uma boa opção é um vinho Tinto já com uns bons 5/6 anitos, arredondado pelo tempo.

Isto tudo abriu-me o apetite… não devia, mas aqui fica uma receita de queques de chouriço e alecrim que não só é muito fácil de executar como de comer à lareira (lembrou-se de trazer os guardanapos?). Além disso o sabor do chouriço só vai enriquecer o seu palato com os sabores da estação em que estamos. Saúde!

Teresa Gomes
(Sommelier OUT OF THE BOTTLE)

vinhos

artigo do parceiro:

Comentários