Protetores solares: os erros que não deve cometer

Conheça os erros a evitar na utilização do protetor solar.

Às vezes, sente que mesmo após aplicar o seu protetor solar não obtém a proteção desejada? Na verdade, existem erros comuns que qualquer pessoa pode cometer, originando exposições solares excessivas, com todas as consequências que daí advêm.

1 – Economizar na quantidade de protetor

A maioria das pessoas não aplica a quantidade adequada de protetor solar. Assim, para aplicar a quantidade necessária e atingir o fator de proteção solar (SPF) descrito na embalagem deve seguir a regra da “colher de chá”. Para o rosto, braço e pescoço deve aplicar mais de meia colher de chá para cada área (3ml). Para cada perna, tronco e costas deve aplicar mais de uma colher de chá para cada área (6ml). Não se esqueça de aplicar também nas áreas mais esquecidas: orelhas, mãos e pés.

2 – Utilizar o protetor apenas em dias de sol

Não é apenas nos dias solarengos que os raios solares são mais agressivos, os mesmos agridem e envelhecem a pele diariamente. Por esta razão, deve proteger-se do sol todos os dias do ano, mesmo nos dias mais nublados.

3 – Escolher o protetor solar errado para o seu tipo de pele

A escolha errada do protetor solar pode levar ao agravamento de problemas dermatológicos:

- Pele sensível com tendência para desenvolver alergias ou pele com couperose ou rosácea: evite protetores que contenham perfume e dê preferência a protetores físicos (formam uma “barreira física” sobre a pele, o que permite desta forma refletir os raios solares);

- Pele oleosa e com tendência acneica: evite os cremes e opte por um protetor oil-free;

- Pele seca: use protetores mais hidratantes, normalmente formulados sob a forma de cremes e loções.

Deve ainda adequar o SPF do protetor ao seu tom de sua pele, pois tanto as peles claras como as escuras necessitam de proteção solar. Atualmente, a maioria dos dermatologistas aconselham a utilização de um SPF nunca inferior a 30.

4 – Esquecer de reaplicar o protetor ao longo do dia

Deve aplicar o protetor solar 30 minutos antes da exposição solar e renovar a aplicação de 2 em 2 horas, ou sempre que molhar a pele (mar, piscina, transpiração).

5 – Utilizar um protetor solar fora de prazo

Quando um protetor solar fica fora de prazo, existem constituintes da sua formulação que entram em degradação e agridem a pele, causando algumas irritações. Além de que o seu SPF diminui, pondo em risco a sua proteção. Após a sua abertura, o número de meses de validade de um protetor é de normalmente 12 meses, se conservado em condições adequadas de temperatura e humidade.

Lembre-se: não basta apenas aplicar o protetor solar, evite os erros e proteja-se!

Para mais informações e/ou aconselhamento, consulte o seu farmacêutico!

Saiba mais no site das Farmácias Portuguesas

artigo do parceiro:

Comentários