Os benefícios dos ingredientes naturais

As propriedades de plantas e frutos que fazem milagres pela sua pele

Muito provavelmente nunca ouviu falar na bardana, o ingrediente anti-rugas extraído de um original fruto que provém da Ásia.

No entanto, o extracto de bardana, com alto teor de arctiin, é um ingrediente anti-rugas de origem vegetal muito eficaz, uma vez que estimula a produção de colagénio e aumenta o grau de firmeza da pele.

Investigadores da Beiersdorf, marca responsável pela comercialização das marcas Nivea, Eucerin e Labello, estudaram os efeitos da bardana na pele e descobriram que o extracto deste fruto estimula efectivamente a produção de colagénio da pele. Gert Horn, um perito em plantas e agricultor de Zappendorf, perto de Halle no Saxony-Anhalt, Alemanha, foi a pessoa que despertou o interesse dos investigadores por esta planta.

Este agricultor cultiva uma variedade especial de bardana (a nuda) e tem vindo a estudar esta planta há mais de oito anos. Em colaboração com os investigadores da Beiersdorf, Gert Horn desenvolveu um extracto de bardana que contém um elevado teor de arctiin e que pode ser usado nas fórmulas dos produtos cosméticos. Além de estimular a produção de colagénio, este melhora a elasticidade da pele, reduzindo o aparecimento de rugas.

O uso medicinal da bardana é, ainda hoje, muito comum na medicina Ayurvédica e na medicina tradicional chinesa. O seu extracto tem sido usado para tratar constipações, problemas de pele, distúrbios renais e algumas doenças virais.

Óleo de argão

Também lhe chamam o ouro líquido marroquino. Tem raízes ancestrais. Os berberes, em Marrocos, usam o precioso óleo da árvore do argão há milénios. O óleo é usado não apenas para preparar refeições mas também no cuidado do corpo e cabelo. Este provém dos grãos das árvores que são do tamanho aproximado de uma noz.


A árvore de argão é umas das árvores mais antigas do mundo. No clima quente do Período Terciário (que começou há 65 milhões de anos) esta árvore cobria vastas áreas do Norte de África e do Sul da Europa. Hoje, as árvores de argão só crescem em 820.000 hectares de terra no sudoeste marroquino, numa área que é actualmente um monumento natural.

Para os berberes, esta é a sua maior fonte de rendimento. As raízes destas árvores podem armazenar muita água, o que é muito importante nas regiões desérticas. O óleo natural de argão extraído a frio provém de uma cooperativa no Mogador, em Marrocos, que apoia as mulheres berberes que produzem este óleo.

Em 1998, a região marroquina de cultivo de argão passou a fazer parte do directório de Reservas da Biosfera da UNESCO. O mercado do Óleo de Argão oferece à população rural um rendimento estável que, ao gerar postos de trabalho, evita a despovoação rural. A árvore de argão também ajuda a prevenir a desertificação dos terrenos, uma vez que as suas raízes actuam como reservatórios de água. Esta função permite que as comunidades cultivem terrenos que anteriormente eram demasiado secos.

Muito rico em ácidos gordos polinsaturados, o óleo de argão é também uma fonte natural de vitamina E e, por isso, juntamente com os polifenóis, oferece uma protecção eficaz e natural contra os radicais livres. Comparado com óleos de alta qualidade provenientes de plantas, contém mais tocopherols, que são a fonte natural da vitamina E.

Por exemplo, o óleo de argão contém três vezes mais vitamina E do que o óleo de azeitona e é também um antioxidante natural. É ainda rico em ácidos gordos preciosos e essenciais que têm um efeito positivo na barreira natural de protecção da pele.

Outra excelente propriedade deste óleo é o seu efeito suavizante na pele, facto que foi demonstrado através de um estudo de aplicação desenvolvido pela Beiersdorf. As mulheres berberes usam-no regularmente nas receitas das suas rotinas de cuidados de beleza. No cuidado facial as mulheres misturam este óleo com água de rosas, enquanto no cuidado capilar o misturam com argila.


Veja na página seguinte: O poder do aloé vera e do óleo de jojoba

Aloé vera

Tradicional ingrediente de beleza testado e comprovado, assemelha-se a um cacto mas, na realidade, é um lírio do deserto.

O aloé vera é usado há mais de 3.000 anos como uma planta medicinal no tratamento de doenças de pele.

Alexandre, o Grande, usou mesmo o sumo de aloé vera para tratar as feridas dos seus soldados. Cleópatra, por sua vez, usava a pasta de aloé vera na sua rotina de beleza e cuidado com a pele. O aloé vera tem propriedades especiais de protecção.

Previne a perda de hidratação enquanto distribui o nível de água uniformemente. As folhas do aloé vera contêm um nível de água superior a 95% e são revestidas por uma camada de cera. Estudos científicos provaram que o gel desta planta proporciona à pele a hidratação necessária enquanto a impede de secar.

A mistura de Ingredientes é mais eficaz quando a planta tem entre os três e os cinco anos de vida. Esta é a razão porque apenas o gel de aloé vera criteriosamente seleccionado é usado na gama Pure & Natural de Nivea Visage.


A polpa extraída das folhas do aloé vera é rica em vitaminas, sais minerais, aminoácidos e enzimas. Quando aplicada na pele, tem um efeito hidratante e ajuda na regeneração das células. O gel tem praticamente o mesmo valor de pH que a pele humana, razão pela qual a planta tem tão excelentes propriedades curativas.

Óleo de jojoba

O óleo de jojoba não é, na verdade, um óleo mas sim uma cera. Desta forma proporciona à pele a protecção ideal enquanto a torna suave e macia. Rico em minerais e nutrientes revitalizantes, é um hidratante especialmente eficaz que hidrata e protege a pele, tornando-a agradável e suavemente aveludada.


Este óleo é cuidadosamente extraído da noz de jojoba, o fruto do arbusto da jojoba, que cresce até aos três metros de altura e pode ser encontrado sobretudo em regiões desérticas.

Camomila


Já todos bebemos chá de camomila pelo menos uma vez na vida. As pétalas suaves da tradicional planta medicinal, quando combinadas com água quente, podem fazer maravilhas. A camomila alivia dores de estômago, cólicas e tem algumas propriedades anti-bacterianas que tornam mais difícil a sobrevivência dos germes.


Na Idade Média, esta era uma parte integrante de todos os jardins existentes nos mosteiros e, ainda hoje, é considerada a planta medicinal mais popular da Europa. Infelizmente, esta planta não abunda na natureza, uma vez que cresce preferencialmente perto das plantações de milho onde é frequentemente morta pelos pesticidas usados para exterminar as ervas daninhas.

Pesquisas internacionais demonstraram que a camomila também é benéfica para a pele. Os flavonóides e os óleos essenciais suavizam a pele e protegem-na da vermelhidão. Esta planta tem ainda propriedades anti-oxidantes que protegem o nosso corpo dos radicais livres. A pele mantém-se suave e macia e a vermelhidão e a irritação são reduzidas.

Chá verde

Este é um ingrediente natural, que tem a sua origem na planta Camellia sinensis e é rico em substâncias antioxidantes, nomeadamente polifenóis, que ajudam a neutralizar os radicais livres, responsáveis pelo envelhecimento celular precoce.


O chá verde é ainda rico em tanino, que possui propriedades anti-sépticas, podendo ser indicado para a limpeza de peles oleosas. Contém ainda manganês, potássio, ácido fólico, vitamina C, vitamina K, vitamina B1 e vitamina B2. E diversos estudos comprovam que melhoram o sistema de defesa das células contra os raios ultravioleta.

artigo do parceiro:

Comentários