7 erros de verão a evitar a todo o custo

Existem situações que prejudicam a saúde da sua pele e dos seus cabelos nos períodos de maior calor. Veja as soluções que lhe propomos para as ultrapassar.

Depois de meses e meses de chuva e frio, a chegada do verão deixa qualquer um alegre. Tempo de férias, de descanso e de lazer, esta época está também associada a alguns excessos e a comportamentos que acabam por ter consequências nocivas, como sucede com uma exposição solar demasiado prolongada, o sal do mar, o vento e o cloro das piscinas, além do álcool e de uma maior ingestão de alimentos gordos.

A vontade de aproveitar o calor ao máximo leva-nos a cometer erros que comprometem a saúde e beleza da pele. As soluções para evitá-los são simples e eficazes. Encontre-as já a seguir:

1. Aplicar o protetor só depois de chegar à praia

Não deve fazê-lo porque os filtros solares químicos demoram algum tempo a atuar convenientemente de forma a promover a proteção. Para não correr riscos desnecessários, aplique o protetor 20 a 30 minutos antes da exposição solar. «Se o aplicar já com o fato de banho vestido, de forma a não o sujar, vai deixar zonas por proteger, ficando a pele vermelha e escaldada», afirma Manuela Cochito, dermatologista.

Deve ser aplicado em casa, com a pessoa despida, numa quantidade generosa (nos adultos, o equivalente a uma bola de golfe), espalhando homogeneamente por todo o corpo. «As exposições solares ao ar livre devem ser protegidas da mesma forma, seja numa ida ao campo, a uma esplanada e durante a prática de exercício físico. A proteção solar antes de sair de casa, nestes casos, é também recomendada», sublinha a especialista.

2. Não proteger o couro cabeludo

Não deve fazê-lo porque esta é uma zona habitualmente esquecida mas que «pode ser afetada por um cancro de pele», afirma a dermatologista. É fundamental proteger esta zona porque a pele do couro cabeludo é extremamente sensível aos raios solares.

«Como é difícil colocar protetor solar onde existe cabelo, deve usar chapéu para evitar queimaduras e, posteriormente, cancro de pele», salienta Manuela Cochito. Para além disso, embora a haste capilar não seja uma célula viva, para evitar que o cabelo fique espigado e seco, deve protegê-lo com produtos adequados.

3. Não aplicar protetor nas mãos

As mão estão constantemente expostas ao sol, motivo pelo qual a sua pele envelhece precocemente. Deve, por isso, protegê-las devidamente. «As mãos devem ser protegidas como qualquer outra parte do corpo. O mesmo se recomenda com os pés, que são propícios a escaldões e que as pessoas se esquecem de proteger», refere Manuela Cochito.

Para além disso, «é fundamental hidratar muito bem a pele quando se chega da praia porque ela precisa, muitas vezes, de absorver duas a três camadas de hidratante para compensar as agressões do vento, das areias, da água do mar, do sol, entre outros», indica a dermatologista.

4. Dormir com o sal no corpo e cabelo para fixar o bronzeado

Não o deve fazer porque a água salgada seca e desidrata a pele, pelo que se desaconselha totalmente que se durma com sal no corpo e no cabelo. Tomar banho de água doce e hidratar a pele logo de seguida.

Veja na página seguinte: A importância de hidratar a pele depois da exposição solar

Comentários