Rentabilize a sua passagem pelo bloco operatório

Barriga lisa e peito firme, rosto rejuvenescido e glúteos remodelados, nariz e queixo em harmonia... Porquê tratar só um problema de cada vez se pode resolver vários de uma assentada?

Já que decidiu render-se à cirurgia estética, que tal aproveitar para corrigir duas (ou até três) imperfeições em vez de apenas uma? Esta prática está a vulgarizar-se, graças à utilização de técnicas e equipamentos cada vez evoluídos, que permitem intervenções menos invasivas e recuperações rápidas. Poupa-se tempo, dinheiro e até em incómodos e ganha-se em resultados, assegura quem sabe

Barriga lisa e peito firme, rosto rejuvenescido e glúteos remodelados, nariz e queixo em harmonia... Porquê tratar só um problema de cada vez se pode resolver vários de uma assentada? As técnicas de nova geração e o grau de desenvolvimento da cirurgia plástica nos últimos tempos tornaram possível a mudança de mais do que uma zona da anatomia com uma única visita ao bloco operatório.

Como explica o cirurgião plástico Ângelo Rebelo, «muitos procedimentos que, há anos, eram considerados intervenções distintas, são hoje encarados como partes de um mesmo trabalho». «A partir de determinada idade, não faz sentido fazer um lifting facial sem o complementar com um lifting cervical (na área do pescoço), em nome da harmonia do resultado. Em alguns casos, pode justificar-se também uma blefaroplastia (cirurgia das pálpebras)», exemplifica.

Quantas cirurgias se pode fazer de uma vez?

«Não pratico cirurgias que impliquem internamento ou anestesia geral, nem faço uso de transfusões de sangue. Quando me surgem pacientes com indicação para esse tipo de intervenções, reencaminho-os para outros colegas». O diretor da Clínica Milénio, em Lisboa, reforça que se aperfeiçou em cirurgia estética de ambulatório, com incisões mínimas e perdas sanguíneas quase inexistentes.

«Na minha sala de operações, o limite não é a quantidade de intervenções mas sim a quantidade de anestésico que o organismo de cada paciente pode suportar. Isto é calculado em função dos resultados de uma série de exames e análises prévias, que têm em conta os mais diversos fatores, da saúde geral do indvíduo ao índice de massa corporal», explica o famoso cirurgião estético.

«Isto quer dizer que, numa pessoa, pode ser necessário fazer uma abdominoplastia em duas fases e, noutra pessoa, ser possível operar a barriga, mamas e braços ao mesmo tempo... Mas cada caso é um caso», realça. A maioria das cirurgias executadas por Ângelo Rebelo implica um período de recuperação total não superior a seis semanas. Na opinião deste cirurgião, «as combinações duplas ou até triplas recomendadas são as que não obstruam a vida normal dos pacientes».

«As que não prolonguem o normal processo de recuperação de uma intervenção», esclarece. As vantagens destes procedimentos 2 em 1 são várias:

- Passagem por um único processo de anestesia, pós-operatório e recuperação

- Rentabilização dos recursos técnicos e humanos do estabelecimento clínico, o que se traduz numa fatura mais barata no final

- Obtenção de resultados globais mais compensadores

Veja na página seguinte: As combinações mais habituais

Comentários