O cão em família

Tudo o que você e o seu filho precisam de saber para escolherem e educarem o seu amigo de quatro patas

O cão é muitas vezes apresentado como sendo o melhor amigo do homem, um fiel companheiro.

 

Mas na altura de o escolher, surgem sempre dúvidas sobre a raça mais adequada ao seu espaço, ao seu ritmo de vida e à sua família, sobretudo se tiver filhos pequenos.

 

Educá-lo é outra missão que pode parecer difícil. Para que fique sem dúvidas sobre qualquer um destes temas, falámos com Alexandra Santos, treinadora de comportamento e obediência e autora do livro «O meu cão e eu», editado pela editora A Esfera dos Livros.


Quais as vantagens gerais para as crianças terem animais de estimação como os cães em casa?


Os cães são ótimos companheiros de brincadeira, facilitam a vida social das crianças pois muitas amizades são feitas através dos seus cães e ajudam a incutir na criança um sentido de responsabilidade e de utilidade.

 

Quais os factores e os critérios a ter em consideração antes de adquirir ou adotar um cachorro?


É muito importante ter em conta a dinâmica e o estilo de vida da família, assim como a a personalidade e a condição física ou estado de saúde dos seus membros. Por exemplo, uma família muito ativa pode escolher um cachorro com um alto nível de energia, enquanto que uma família com um estilo de vida mais pacato deve optar por um cachorro mais calmo, como os das raças basset hound e beagle.

 

Se houver membros da família com alergias, é preferível optar por um cão com pelo cerdoso ou encaracolado, como o cão de água português, o pastor alemão ou o labrador, pois tendem a largar menos pelo. Se o cão vai passar muitas horas sozinho (11 a 12 horas por exemplo) é aconselhável escolher um cachorro com um temperamento independente.


Se houver crianças pequenas na família, aconselho a escolha de um cão pachorrento e com elevada tolerância ao manuseamento físico. Raças como o basset hound, o setter inglês, o collie, o golden retriever e o labrador são cães de temperamento equilibrado.

 

A lista de raças mais indicadas para as crianças inclui, além das referidas anteriormente, o budogue (francês e inglês), o cão da Terra Nova, o São Bernardo e o schnauzer gigante. Igualmente importante é a família obter alguns conhecimentos fundamentais sobre a forma como os cães comunicam, para evitar conflitos e más interpretações desnecessárias.


Há quem defenda que qualquer cão, desde que bem ensinado, pode conviver harmoniosamente com uma família com crianças? Concorda ou isso apenas acontece com algumas raças, podendo outras ser desadequadas?

 

Acredito que hajam raças menos adequadas, não por serem cães ditos maus, mas porque as próprias características tendem a ser incompatíveis com alguns comportamentos das crianças, especialmente das mais pequenas. Por exemplo, uma raça de guarda que tenda a guardar recursos pode atacar a criança que lhe tentar retirar um objeto.

 

Há raças mais adequadas à convivência com crianças, nomeadamente as de companhia. Contudo, não vamos ser fanáticos e pôr de parte a hipótese de adquirir um cão de uma raça de que gostemos ou um cão rafeiro, pois embora o potencial para certos comportamentos agressivos seja ditado pela carga genética do cão, pode perfeitamente nunca se manifestar se o cão for muito bem sociabilizado e treinado.   

Comentários